"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Arquivo para fevereiro, 2012

and the Oscar goes to…

A grande motivação para este post fica por conta do cover de Trent Reznor (ex-Nine Inch Nails) e Atticus Ross para a canção zeppeliana Immigrant Song. A dupla faturou ano passado o Oscar de melhor trilha sonora para The Social Network (A Rede Social), mas desta vez ficaram de fora dos indicados nesta mesma categoria com o novo filme de David Fincher.

Já no caso de melhor canção original, a academia de Hollywood nas últimas edições tacou o foda-se nesta categoria, tanto que ontem tivemos apenas duas indicações, das animações Rio e Muppets. E a cria de Carlinhos Brown e Sergio Mendes deve ficar com a estatueta.

Para minha lista, deixo do Oscar 2012 apenas Immigrant Song e Real in Rio. E para completá-la com as oito restantes não pensei muito, foi de bate-pronto, o que me veio a mente coloquei. Destaque para a versão cowgirl-bêbum de Modern Love (David Bowie) que fecha os créditos do sensacional JCVD, o filme sobre Jean-Claude Van Damme.

***

1. The girl with the dragon tattoo
(os homens que não amavam as mulheres)

Immigrant Song – Trent Reznor & Atticus Ross

***

***

2. Pulp Fiction
(Pulp fiction – Tempo de Violência)

Girl, You’ll Be a Woman Soon – Urge Overkill

***

***

3. THe goonies
(Os Goonies)

The Goonies ‘R’ Good Enough – Cyndi Lauper

***

***

4. Stand by me
(Conta comigo)

Stand by me – Ben E. King

***

***

5. Saturday night fever
(os embalos de sábado à noite)

Staying Alive – BEE GEES

***

***

6. Highlander
(Highlander, o guerreiro imortal)

Who Wants to live forever – Queen

***

***

 7. James Bond 007: the living daylights
(007 marcado para a morte)

The living daylights – a-ha

***

***

 8. JCVD
(JCVD)

modern love – Marie Mazziotti

***

***

9. Closer
(Perto Demais)

The Blower’s Daughter – Damien Rice

***

***

10. Rio
(Rio)

Real in rio – Carlinhos Brown & Sergio mendes

***

***

Anúncios

agora é PRA VALER

A folia coletiva acabou. Sinceramente gosto dos dias de recesso que o feriado oferece, e não da euforia em si. Agora é pra valer. Que 2012 venha de vez. As músicas dessa dose_INDIE variam entre “roquinhos” acelerados, baladinhas, e sonzinhos medianos. Nada difícil aos ouvidos. Sem precisar pensar, apenas escutar e entrar no ritmo novamente.

01 – The Telepathic Butterflies – Elixir

Dupla formada originalmente por guitarrista e baterista. Os demais integrantes entraram para o time conforme apareceram as necessidades em palco.

The Telepathic Butterflies é nome de capítulo da obra Breakfast Of Champions, escrita por Kurt Vonnegut Jr.

02 – Howling Bells – Low Happening

Australianos radicados em Londres. O homônimo disco de estréia foi produzido por Ken Nelson que já trabalhou com Coldplay. Depois de alguns contatos ele conseguiu para banda convite para participar da turnê européia junto de Placebo, The Killers e Snow Patrol.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

03 – The Lucky Bishops – London Lounge

Quando Grimstone, disco anterior a Unexpect The Expected, estava sendo gravado a banda alugou imóvel em Dorset, sudoeste da Inglaterra. Depois de forte tempestade de primavera a casa literalmente caiu o que os forçou a continuar o trabalho na cidade vizinha, Dorchester.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

04 – The Lovethugs – A Little Bit Of Something

Além da formação clássica outro elemento que faz diferença no som de The Lovethugs é a presença de percussionista. As músicas soam como se fossem registradas nos ensaios. Alguns críticos consideram suas letras fracas. Uma das justificativas foi a falta de familiaridade com o idioma inglês pelo vocalista Jim Faulty que é norueguês.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

05 – The Capitol Years – You Can Stay There

Shai Halperin começou a “fazer” música em seu antigo gravador de quatro canais. Sir Kyle Lloyd, bateria e Dave Wayne Daniels, baixo, ex-integrantes de Mastercaster, contribuíram com seus instrumentos. Jeff Van Newkirk, segundo guitarrista, uniu forças a partir do segundo lançamento. Uma das características no som de The Capitol Years é o pop/ rock dos anos 60.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

06 – The High Dials – The Holy Ground

Os anos 60 inglês e elementos contemporâneos são as bases da banda de Montreal. Quando o primeiro EP foi lançado Little Steven, da E. Street Band que acompanha Bruce Springsteen há anos, os ajudou a ser banda de abertura dos Stooges e The Strokes.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

07 – Beulah – Popular Mechanics For Lovers

Enquanto ensaiava para gravar The Coast Is Never Clear a banda sentiu que caminhava ao encontro do “pop perfeito” e estava confortável com o resultado.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

08 – The Blow – Parentheses

Projeto solo desenvolvido por Khaela Maricich. Em 2004 Jona Bechtolt participou da gravação do EP Poor Aim: Love Songs. O resultado agradou e ambos resolveram que continuariam como dupla. Paper Television, de 2006, foi o primeiro disco em parceria.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

09 – The Sunshine Fix – Digging To China

Quando The Olivia Tremor Control acabou Bill Doss formou The Sunshine Fix. O foco foi outro. O experimentalismo foi deixado de lado dando lugar ao pop/ rock. The Byrds foi uma das fontes.

10 – Bronco Bullfrog – One Day With
Melody Love

Cada integrante do trio participou de outra banda antes de unir seu interesse musical que inclui The Beach Boys, The Beatles, The Who, The Hollies, entre outros.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Bronco Bullfrog é nome de filme dos anos 60 estrelado por Sam Shepard.

11 – The Essex Green – The Late Great Cassiopia

Depois de lançado o disco de estréia e antes de entrar em estúdio para gravar The Long Goodbye a banda concentrou forças no Brooklyn e estava resumida a trio. Apresentações em pequenos bares e casas noturnas orientaram se as músicas funcionariam ao vivo.

12 – The Singles – Hypnotized

O título Start Again tem significado especial para a banda. Quando ele foi lançado apenas o vocalista e guitarrista Vince Frederick era integrante da formação original. Foi intencional a sonoridade ao rock inglês.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
Para conhecer as edições anteriores da dose_INDIE e Dez Capas clique aqui. Até sexta que vem.

Mute, not deaf

MÚSICA INSTRUMENTAL – POR ZÉ MÁRIO

Olá pessoal, como vai esta quinta-feira chuvosa?

Como alguns já devem ter visto em uma postagem minha anterior, de vez em quando crio algumas músicas, porém só instrumental . Me questionaram sobre onde esse tipo de som rola… se há de fato espaço para isso. Bem, sabemos que música instrumental para o Jazz e música clássica tem aos baldes, mas este novo instrumental que é também experimental, misturando vários estilos é algo relativamente novo.

Um belo exemplo do que está rolando a respeito dessa nova música instrumental é o festival brasileiro PIB – Produto Instrumental Bruto, onde inúmeras bandas instrumentais procuram expor seus trabalhos. Acessem o ***site*** do festival para saber mais sobre o projeto. Para fechar este micro post, vamos ouvir uma música do Macaco Bong, e mais uma música que fiz. Enjoy!

Todo carnaval tem seu fim…

Semana passada o título do post era Quando o carnaval chegar. Me enrolei e a coisa não ficaria pronta para segunda, então botei a máscara e fui trançar minhas pernas sambando por ai. Agora de volta em plena quarta-feira de cinzas (thanx Zé pelo espaço), de Chico Buarque vamos agora de Los Hermanos e Todo carnaval tem seu fim

***

1. Quando o carnaval chegar – Chico Buarque

***

***

2. Monobloco 2002 – Monobloco

***

***

3. Carnaval na Obra – Mundo Livre S/A

***

***

4. Carnaval só ano que vem
Orquestra Imperial

***

***

5. Quando Fevereiro Chegar
Uma lírica de Fausto Nilo

***

***

6. Carnaval – Barão Vermelho

***

***

7. Religar – Leo Cavalcanti

***

***

8. Carnaval Piano Blues – Antonio Adolfo

***

***

9. Carnaval não é brincadeira – Vários

***

***

10. Bloco do eu sozinho – Los Hermanos

***

a dose_INDIE pula o CARNAVAL

Em 2010, na sexta-feira pré FOLIA COLETIVA, publiquei a primeira edição da dose_INDIE pula o CARNAVAL. Escolhi a data para explorar outros ritmos que também fazem minha cabeça, como ska e british beat. As músicas deste ano eram as escolhidas para 2011, mas a data coincidiu com o lançamento do NOVO Sete Doses. A má estrutura desenvolvida pelo webdesigner para transformar o antigo blog em site ENLOUQUECEU o servidor e em fevereiro ficamos praticamente o mês todo fora do ar. Arquivei o projeto. Hoje resgato a ideia e publico set list OLD SCHOOL.

01 – De La Soul – A Roller Skating Jam
Named Saturday

Acompanho a banda desde 3 Feet High And Rising. Com o segundo lançamento eles tiveram “culhões” suficiente para declarar De La Soul Is Dead. A sonoridade e imagem joviais do início foram substituídas por letras elabroradas e postura madura. Em 2005 o trio emprestou suas vozes para “Feel Good Inc.”, de Gorillaz, atual projeto de Damon Albarn, do Blur.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

02 – Run DMC – Mary Mary

Mesmo sendo hip hop, rock’n roll nunca esteve fora das referências de Run DMC. Tougher Than Leather foi “adotado” pelos fãs cabeludos o que resultou em mais de um milhão de unidades vendidas. O disco foi considerado um dos três melhores lançamentos de rap, em 1988.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

03 – Beastie Boys – Hold It Now, Hit It

Misturar estilos musicais não é tarefa simples. Além do talento e criatividade dos Beastie Boys, parte do mérito de sucesso no início de carreira vai para o produtor Rick Rubin, na época dono da gravadora Def Jam.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

04 – Bomb The Bass – Beat Dis

Todo set list foi definido com base em rap e hip hop, mas como o conceito é OLD SCHOOL não posso deixar “Beat Dis”, clássico da eletrônica, de fora. Bomb The Bass foi projeto desenvolvido pelo produtor Tim Simenon, formado em engenharia de estúdio e DJ residente da casa noturna Wag Club, referência de breakbeat no começo dos anos 80, em Londres.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

05 – Eric B And Rakim – Paid In Full

Produção enxuta e contemporânea para o disco de estréia de Eric B And Rakim, em 1987. Assim que lançado o single Paid In Full foi remixado pelo duo inglês Coldcute e ficou durante semanas na primeira posição do Top Ten inglês. Tempo depois a música serviria de base para “Girl You Know It’s True”, de Milli Vanilli.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

06 – Salt’n Pepa – Push It

O surgimento de Salt’n Pepa nos anos 80 foi importante para a cena hip hop formada, em sua maioria, por bandas de sexo masculino. Todos os integrantes, inclusive DJ, eram mulheres. Suas letras abordavam amor e ganhavam peso pró-feminismo quando interpretadas ao vivo. A presença de palco do trio fazia toda diferença.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

07 – Rob Base And Dj Ez Rock – It Takes Two

A música começou a ser divulgada em pequenas rádios de Nova Iorque, em 1987. Depois que “It Takes Two” entrou para o Top Ten da revista Billboard foi single duplo de platina. Rob Base e Dj Ez Rock usaram samplers de “Think”, de James Brown, para criá-la.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

08 – Afrika Bambaataa And Soulsonic Force – Renegades Of Funk

Cultuado DJ americano, um dos criadores do break-beat deejaying e responsável pela difusão da cultura hip hop em todo mundo. A música foi regravada em 2000 por Rage Against The Machine, lançada em Renegades, disco composto apenas de covers.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

09 – Public Enemy – Party For Your Right
To Fight

Public Enemy foi outra banda que soube usar com sabedoria elementos rock’n roll com hip hop, mesclados ao jazz. Em Licensed To Ill, de Beastie Boys, há música chamada “Fight For Your Right To Party”. Coincidência ou não durante anos as duas bandas realizaram turnê em parceria.

10 – 3rd Bass – The Gas Face

MC Serch e Prime Minister Pete Nice, ambos com 20 anos na época, trabalhavam em projetos individuais quando foram apresentados um ao outro pelo produtor Sam Sever que os “convenceu” a unirem forças. The Cactus Album, disco de estréia, foi produzido por Prince Paul, também responsável pelo primeiro do De La Soul.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

11 – Del Tha Funkee Homosapien – Dr Bombay

Teren Delvon Jones é o nome por trás do Del Tha Funkee Homosapien. No início ele fazia parte da banda de apoio de seu primo, o rapper Ice Cube. Sua obra é conhecida por trazer humor nas letras. Em 2001 o cantor também emprestou sua voz para as músicas “Clint Eastwood” e “Rock The House”, de Gorillaz.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

12 – A Tribe Called Quest – I Left My Wallet In El Segundo

Antes de People’s Instinctive Travels And The Paths Of Rhythm ser lançado Q-Tip, vocalista, havia gravado várias músicas para o disco de estréia dos amigos do De La Soul.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Nos anos 90 ele participou do clássico “Groove Is In The Heart”, de Deee Lite.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
Como mencionei no começo do post, em 2011 a dose_INDIE NÃO PULOU o Carnaval porque em fevereiro o NOVO Sete Doses ficou praticamente o mês todo fora do ar rersolvendo problemas técnicos. Águas passadas. OUTROS CARNAVAIS virão. Para conhecer as edições anteriores da dose_INDIE e Dez Capas clique aqui. Até sexta que vem.

Hidden Track #3

PAUL VAI LARGAR A MARIJUANA POR BEATRIZ – POR ZÉ MÁRIO

Meus amigos, uma mundança importante no mundo da música (e do tráfico tb):

PAUL MCCARTNEY NÃO FUMARÁ MAIS MACONHA! O ex-beatles disse q foi apresentado à erva por Bob Dylan (danadinho hein), porém abandonará o fumo  porque já queimou todos os neuronios  em  respeito à Beatriz, sua filha de 8 anos. Será que isso afetará sua qualidade enquanto artista?

Acho q esse não é o tipo de cigarro preferido por ele…

Hidden Track #2

FAMÍLIA, FAMÍLIA. CACHORRO, GATO, GALINHA! – POR ZÉ MÁRIO

Ontem acabei achando umas fotos muito legais (não, não são capas, hehe) de músicos famosos junto de suas famílias e em casa. São legais porque são, no mínimo, bizarras. Mas vale muito a pena ver! vamos lá!

Linda a decoração em roxo hein, Frank Zappa! Combina com suas roupas hahaha

Grace Slick (Jefferson airplane) estava grávida e fantasiada de capa de liquidificador

O Eric Claptonmaniaco (sempre quis fazer essa piada) e sua mãe com cara de serial killer

Ê Elton John, q cabelinho é esse? Seu pai devia ouvir muito suas músicas hein (mesmo que ele não quisesse, com dois radares no lugar de orelhas o.O)

A mãe do Ginger Baker (cream) fazia sopa de pedra para ele…

Se isso fosse nos dias de hoje, esta foto teria uma tarja escrito “as mina piram nas motinha”

Bem pessoal, após fazer um monte de piadas com a família alheia, vamos fechar este post ouvindo a música que o nomeia, bora lá Titãs!

[via]

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: