"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘always’

Bloodsports

suede_bloodsports

Na segunda-feira da semana passada, dia 11, Bloodsports, do Suede, vazou. Este é o primeiro disco com inéditas em dez anos de hiato. O lançamento oficial foi hoje, dia 18. Compartilhei a novidade em meu perfil do Facebook, e confesso que fiquei na dúvida: será que a banda ainda tem o que mostrar?

O amigo Pedro Antunes de cara perguntou: “E aí? Bom? Incrível?” Respondi que havia passado rapidamente pelas dez músicas, e que iria escutá-las por completo na sequência. Ele finalizou: “depois me dê o seu veredicto.” Em trinta e nove minutos há excelentes momentos em Bloodsports, mas também belas escorregadas. Segure-se.

Em janeiro, quando foi lançado o clipe de Barriers a música não me impressionou, mas agora escutando a obra completa ela tem seu valor. Equivocado foi colocar Snowblind logo na sequência. Preste atenção no trecho de Barriers em que Brett Anderson canta:

“but will they love you,
the way, the way I loved you?
we jumped over the barriers
jumped over the barriers”

Depois compare com este de Snowblind:

“this love is lifting
the blood is lifting you
over snowblind barriers
this love is lifting who
this blood is lifting you
i was snowblind for a moment too”

A entonação é a mesma. Snowblind é boa, mas causaria melhor impacto se estivesse em outra posição da setlist, algo como a música 8 ou 9 do cd, estrategicamente posicionada para nossos ouvidos esquecerem do refrão da música que abre a obra.

suede_it_starts_and_ends_with_you

Quando escutei The Drowners pela primeira vez, nos anos 90, o riff inicial soou como se eu conhecesse a música há muito tempo. It Starts And Ends With You despertou a mesma impressão. Depois de dez anos ESSA é a músca do Suede que eu queria escutar. Era DESSE Suede que eu estava com saudades, e não daquela banda que está em Head Music.

Sabotage é linear. Ela demonstra emoção do meio para o final. Sugiro escutá-la duas vezes seguidas.

Na minha opinião, For The Strangers foi resgatada dos takes não aproveitados da fase Bernard Butler. Guitarra bacanérrima. Se ao trabalhar com o produtor Ed Buller a banda pretendia soar como na fase Dogman Star, com For The Strangers ela acertou o tom, e ainda é possível encontrar frescor de novidade.

Torço para que Hit Me seja o próximo single. Bateria e guitarra dominam, mas fico com o baixo esperto de Mat Osman que está na medida certa. Como são dez músicas, o lado B do vinil começará com vigor.

Logo no início Sometimes I Feel I’ll Float Away meio que anunciava que seria a chatinha do disco. Depois de escutar a música inteira você concluirá que de chata não tem nada.

Passamos da metade e até agora o disco desenvolveu muito bem. Melhor se ele tivesse apenas nove músicas, que What Are You Not Telling Me fosse a última música do último single que a banda lançará em setembro ou outubro de 2014. Desnecessária. Se no lado A do vinil estão as melhores músicas do disco, no lado B, com exceção de Hit Me, estão as menos expressivas. Tomara que isso não signifique que as boas ideias da banda se esgotaram. Que as músicas reservadas para entrarem nos futuros singles levantem a moral novamente.

Faz sentido Always ser a penúltima música. Ela preparou o ouvinte para o grand finale que não aconteceu. Se It Starts And Ends With You estivesse na sequência dela o encerramento teria sido apoteótico. O disco finaliza com a insossa Faultlines que é aquele filho caçula raspa do tacho que tem diferença de vinte anos de sua irmã mais velha. Neste caso a irmã chama The Big Time. Não há necessidade de duas músicas similares no conjunto da obra mesmo com esse longo período que as separam.

No geral um detalhe MUITO me agradou. Felizmente ficaram de fora aqueles tecladinhos irritantes como os que estão nas músicas Everything Will Flow e She’s In Fashion. Ufa.

Ainda não há previsão de lançamento de Bloodsports no Brasil, mas no site suede.co.uk é possível encontrá-lo em duas opções: cd simples e edição de luxo com camiseta, livro, cd + dois vinis.

Se muito bom significa nota dez considero o disco BOM.

Anúncios

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: