"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘Judas priest’

90’s: 1990

***

Começa aqui neste post uma série de publicações de discos/capas lançados na década de 90. Muita coisa interessante foi lançada em 1990, artistas importantes surgiram e outros se foram. Me lembro que o heavy metal já dava sinais de fraqueza perante a avalanche de novas bandas de rock que ocupavam a maioria das FMs e quase que a grade inteira da Mtv americana. Era o rock alternativo e o grunge os novos donos do pedaço. E a dance music também pedia licença e lotava as casas noturnas de todo o mundo. O Festival Hollywood Rock era realizado em São Paulo e Rio, Cazuza falecia em julho e nascia a Mtv Brasil.

Como fazer esta lista com os dez de 1990? A única regra imposta foi minha memória, o que lembro de ter escutado, gostado, gastado agulhas e agulhas do meu 3 em 1 Gradiente ou que ganhou muito destaque. Acabei chegando em trinta discos (é sério!) e infelizmente gente como Black Crowes, Sinead O Connor, Pixies, Primus, Soup Dragons, Extreme, ZZ Top, Pet Shop Boys, AC/DC, Jon Bon Jovi, tiveram que ir pra lixeira. Feito um mix final dessas três opções, o que temos segue abaixo.

***

violator – depeche mode

Sétimo álbum do DM é considerado (também por mim) como o melhor da banda, fechando com chave de ouro o sinthpop que varreu os anos 80 com grandes discos, e que depois não daria mais bons frutos nesta década de 90. E o que dizer sobre a capa? Simples e perfeita.

***

***

listen without prejudice vol. 1
george michael

Ainda é fresca na minha memória como este disco fez um baita sucesso, e mais ainda o clipe de Freedom 90 com as beldades Naomi Campbell, Linda Evangelista e Cindy Crawford. – dirigidas por David Fincher. Mas nosso ex-Wham ficou nisso, o volume dois não veio e nada mais de interessante fez George Michael, apenas seguiu cantando por ai Elton John e Queen.

***

***

east of the sun west of the moon – a-ha

Antes de mais nada é a minha segunda grande banda. Este quarto disco marcou uma ruptura com o sinthpop dos álbuns anteriores e se apresenta com uma veia mais rock n’ roll e sombria. Foi durante a turnê deste álbum aqui no Brasil que eu acabei prestando mais atenção no trabalho dos noruegueses. Depois de East of the Sun… vieram mais cinco álbuns e a despedida em 2010, e hoje é nítido ver uma grande diferença entre essas duas fases da banda. Pena que muita gente só conheça o a-ha pelo hit chatão Take on Me, mas  outros como Chris Martin (Coldplay) e eu teve o prazer de conhecer toda a obra da banda.

***

***

facelift – alice in chains

Formada em 1987, a banda de Jerry Cantrell e Layne Staley apareceu mesmo no pacotão grunge que ainda tinha Nirvana, Pearl Jam e Soundgarden no começo dos anos 90. Lembro do video de Man in the Box e os VJs da Mtv Brasil plantando a dúvida se o vocalista era cego ou não. Tudo por conta de seus óculos escuros e uma performance no palco prá lá de contida: não interagia com o público e nem com os outros integrantes. (hein?!)

***

***

brick by brick – iggy pop

Tem Kate Pierson do B-52 e Slash fazendo as guitarras do disco. E a capa recebeu os traços do cartunista Charles Burns. O mega-sucesso Candy levou nosso eterno Stooges a lugares nunca antes frequentados por ele… e agora devidamente vestido.

***

***

world clique – deee-lite

Foi uma bomba e tudo indicava que tinhamos ali um trio que ainda faria grandes discos e que colocaria a dance music club novamente em destaque. Porém as figuras excêntricas de um DJ Ucrâniano, mais um japinha simpático e a bela Lady Miss Kier soltando o seu vozeirão em Groove is in the Heart parecem ter funcionado apenas neste primeiro álbum, pois lançaram mais dois de estúdio e desapareceram no espaço. Só que World Clique foi sem dúvida um dos grandes lançamentos de 1990.

***

***

ritual de lo habitual – jane’s addiction

Teve sua capa censurada mas não vai achando que é essa ai, mesmo com a nudez e referências religiosas. Esta é a versão liberada para rodar o mundo. Ficou curioso? Então relembre Jane’s Addiction no post  As Proibidas do Rock

***

***

painkiller – judas priest

Começo dos anos 90 e todos já falavam da morte do Heavy Metal. Será que algumas bandas ainda lançariam coisas relevantes? Judas Priest com certeza sim. Pelo menos entre os discos deste começo de década, Painkiller salvou a pele dos headbangers.

***

***

gonna make you sweat – C+C music factory

É um daqueles projetos de dance music que reúne “boas” vocalistas, DJs emergentes e um ótimo esquema de marketing. Normalmente, nascem hoje e morrem amanhã e assim aconteceu também com o C+C, só que eles cometeram a proeza de lançar um disco bem legal que alcançou números invejáveis no mundo pop.

***

***

cherry pie – warrant

Minha única explicação para a inclusão desta pérola da farofa roqueira do ano de 1990 só pode ser a capa. Talvez por ser bem distante do que  acostumamos ver em bandas de hard rock (e também porque eu ainda acreditava nesta vertente do rock). Acho que me arrependo de ter tirado da lista Pet Shop Boys, Pixies e ZZ Top, ambos também de 1990.

***

Anúncios

Aviões de papel

CAPAS DE DISCOS COM AERONAVES – POR ZÉ MÁRIO

No embalo do post da semana passada que foi sobre capas de discos com carros, este post será sobre capas de discos e aeronaves.

Led Zeppelin I

O nome Led Zeppelin em primeiro momento era escrito Lead Zeppelin, que significa balão de chumbo. O balão que se tornou ícone da banda foi projetado pelo conde alemão Ferdinand Von Zeppelin. O balão servia para fazer viagens transatlanticas tripuladas na década de 30. Vamos de Whole Lotta Love:

The Prodigy – Invaders must die

Usando também de uma imagem de um Zeppelin, a capa de Invaders must die trabalha o preto e branco, com uma camada de laranja em transparência. vamos ouvir Omen:

A-ha – minor earth / major sky

Gostaria de descobrir onde esta foto foi feita, provavelmente em algum cemitério de aviões, mas qual?

O clipe da música que dá nome ao album é uma viagem espacial que ocorre mais ou menos junto com Neil Armstrong:

Beastie Boys – License to ill

O logo dos Beastie boys parece que foi feito exatamente para essa capa, pois combinou perfeitamente com uma adesivação de um avião. Vamos ouvir Rhymin’ & Stealin:

[

Circa Survive – On letting go

Ao ouvir essa banda eu lembro muito do The Mars volta só que mais comportadinhos, mas as capas surreais são próximas. Aqui, o balãozinho tem como tocha a cabeça de uma moça pegando fogo…coitada! Vamos ouvir Imaginary Enemy:

ABBA – Arrival

Nunca ouvi muita coisa do ABBA, mas achei muito legal essa capa, e não a conhecia até o momento de criar este post. Para acompanhar, vamos de Dancing Queen, um dos singles do disco:

Judas Priest  – Screaming for a vengeance

Essa capa é de 1982, e mostra bem o que rolava no design da época, muitas artes de animais em aço, letras feitas em metal. Nesta capa temos um “caça” águia.

Vamos ouvir a faixa-título do álbum:

Anvil – Speed of sound

Mais uma banda que utiliza ilustrações que procura passar agressividade do aço com um exagero a mais. No caso, a parte inferior é uma bigorna! Imagina pra isso pousar… Conhecia  banda agora, pelo menos a faixa que dá título ao álbum é muito boa:


The Hellacopters – Head off

Não poderia deixar de ter uma capa com um helicóptero a banda que se chama “os helicópteros”. Todas as capas da banda são muito boas, com uma pegada setentista. Vamos de In the sign of octopus:

Pra fechar a sexta-feira bem alegres, vamos de balão mágico! Nem vou falar da arte primorosa da capa ( não é sarcasmo) afinal, vejam o tanto de detalhes que o balão possui. Sem mais delongas, Superfantástico!

Bom fim de semana a todos!

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: