"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘stone temple pilots’

COQUETEL

Na segunda-feira, dia 11, foi publicado mais um post que assino como colaborador para a Rádio UOL. Em COQUETEL deste mês escrevi sobre levar cartão vermelho. Espero que curtam. Para ler o conteúdo na página da Rádio UOL clique aqui.

cartão VERMELHO

Quando a falta é grave o juiz levanta o braço, e não tem volta. O jogador foi expulso. Levar cartão vermelho não está restrito apenas ao mundo do esporte. Ações e pensamentos que discordam do consenso coletivo também completam a ideia de exclusão. Embora não seja fácil, manter a serenidade pode evitar a prática de injustiça. Se chegar ao ponto em que as opções de entendimento foram esgotadas, acabou o diálogo. A expulsão é mais que merecida. .

stone_temple_pilots

1° Tempo.
Scott Weiland levou cartão vermelho em 27 de fevereiro. O ex-vocalista do Stone Temple Pilots soube que foi demitido pela imprensa. Em nota divulgada no site oficial os demais músicos não explicaram os detalhes da decisão. Curiosamente um dia antes, em entrevista a revista Rolling Stones, o cantor declarou que os quatro integrantes eram como uma grande família.

Assim que soube da novidade Weiland escreveu resposta pelo Facebook. Afirmou que estava supresso em ser demitido da banda que fundou, liderou e que escreveu alguns de seus maiores sucessos. Até a solução do perrengue seu advogado terá muito trabalho pela frente.
.

morrissey_with_cat

2° Tempo.
Em janeiro Morrissey foi hospitalizado para tratamento de úlcera hemorrágica chamada Síndrome de Barrett, doença em que ocorrem alterações nas células da porção inferior do esôfago. Boa parte da turnê americana foi cancelada por causa do tratamento. A volta aos palcos seria em apresentação ao vivo no programa de Jimmy Kimmel, em 26 de fevereiro. Quando o cantor soube quem seriam os demais convidados da noite assumiu a posição de juiz e levantou o cartão vermelho. O elenco de Duck Dynasty seria entrevistado por Jimmy. O programa aborda história de família que produz material para caça de pato selvagem.

Morrissey é vegano, filosofia de vida e postura política que elimina o uso de produtos de origem animal, e também é ativista do Peta, People for the Ethical Treatment of Animals. A imagem do cantor com gato na cabeça, usada na divulgação da turnê que passou pelo Brasil em 2011, foi publicada originalmente na capa do jornal inglês The Guardian. Na ocasião ele declarou: “…the Chinese are a subspecies…” por causa dos maus tratos aos animais.
.

spike_lee_django_unchained_quentin_tarantino

Prorrogação.
Antes de ser lançado, Spike Lee declarou que não assistiria Django Unchained por considerá-lo falta de respeito à memória de seus ancestrais roubados da África. A escravidão americana foi holocausto e ele iria honrá-los. Mesmo propondo boicote, Quentin Tarantino afirmou que não iria perder tempo respondendo as provocações do colega cineasta. Primeiro cartão amarelo para Lee.

Jamie Foxx, protagonista do filme, defendeu a produção em entrevista ao The Guardian: “Qual é a de Spike Lee? Ele não gosta de Whoopi Goldberg, de Tyler Perry, ele não gosta de ninguém. Antes de falar mal ele deveria ver o filme. Spike é um diretor fantástico, mas se torna mesquinho ao atacar seus colegas sem acompanhar o trabalho que está sendo feito. Para mim, isso é irresponsável.” Segundo amarelo. CARTÃO VERMELHO, Spike.

quentin_tarantino_oscar_2013

Django Unchained foi premiado com duas estátuas do Oscar, em fevereiro. Uma delas por Melhor Roteiro Original, entregue a Quentin Tarantino. Ele declarou que a história era para provocar o debate sobre a escravidão, e que o tema ainda é doloroso e evitado. O cineasta revelou também que recebeu elogios de fãs espalhados por todo o mundo. E de colegas de profissão, não? O gato comeu a língua de Spike Lee?

.
Se procurarmos o significado de livre-arbítrio encontraremos opções como: possibilidade de decidir, escolher em função da própria vontade, isento de qualquer condicionamento, motivo ou causa determinante, definições que em nada combinam com apatia, radicalismo e arrogância. A condescendência é um sentimento nobre. A obstinação excessiva emburrece.

.
Lex, Leandro Borghi, é designer gráfico, produz e apresenta a dose_INDIE há 4 anos, publicada semanalmente no dezcapas.wordpress.com.

Anúncios

HO HO HO

dose_INDIE_157

Esta é a última dose_INDIE inédita do ano. Relembrando as “últimas” publicadas em dezembro o setlist de 2010 fez referência aos anos 90. Naquela época havia reencontrado amigos das antigas e escolhi músicas que lembravam os velhos tempos. Em 2011 estava de saco cheio de situações cotidianas. Para tudo aquilo ter fim o novo ano precisava começar. Para 2012 uma banda foi a referência. Explico melhor no item sete.

01 – Swervedriver – Why Say Yeah

swervedriver_why_say_yeah

Antes de Swervedriver a banda chamava “Shake Appeal”, nome de música dos Stooges. “Why Say Yeah” foi single lançado em parceria de Sophia, banda idealizada por Robin Proper Sheppard, ex-vocalista de The God Machine.

swervedriver_why_say_yeah_back

02 – Teenage Fanclub – Escher

teenage_fanclub_thirteen

Mais um caso de música que influenciou banda. O nome Thirteen, quarto disco de Teenage Fanclub, foi escolhido por causa do hit de Big Star, de 1972.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

03 – Tad – Gouge

tad_inhaler

Inhaler foi o primeiro lançamento por grande gravadora de TAD. Os discos anteriores vieram com assinatura da Sub Pop. A turnê de divulgação foi realizada em parceria de Soundgarden. A banda não alcançou projeção mundial como os amigos de Seattle, mas o disco foi muito bem em críticas e vendas.

04 – Stone Temple Pilots – Seven Caged Tigers

stone_temple_pilots_tiny_music

Tiny Music… Songs From The Vatican Gift Shop foi elogiado por toda crítica especializada por explorar sonoridade diferente comparado aos lançamentos anteriores. Nele estão os clássicos “Big Bang Baby”, “Lady Picture Show” e “Trippin’ On A Hole In A Paper Heart”. Por outro lado a turnê mundial foi cancelada por causa da internação de Scott Weiland em clínica para tratamento de dependência química.

05 – Cracker – Low

cracker_kerosene_hat

Banda idealizada pelos amigos e vizinhos David Lowery, vocal, e Johnny Hickman, guitarra. Antes de completar um ano de lançado Kerosene Hat foi disco de platina. Nele, além do hit “Low”, também está “Loser”, cover de The Grateful Dead.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

06 – Gumball – Thunder

gumball_super_tasty

Gravação de dois discos. Este foi um dos itens que estava no contrato assinado por Gumball com grande gravadora, em 1991. Super Tasty foi lançado meses depois do acordo e teve produção de Butch Vig que também foi responsável pelo clássico Nevermind, do Nirvana.

07 – Dig – Believe

dig_dig

Projeto desenvolvido pelo produtor Scott Hackwith que também realizou trabalhos com os Ramones. “Believe” ficou durante meses na programação da MTV americana e foi o único grande hit da banda. Há muito tempo pretendia publicar esta música em um dos posts. Vontade realizada agora. Ela foi a referência que mencionei no texto de abertura.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

08 – Doves – NY

doves_the_last_broadcast

Os irmãos Jez Williams, guitarrista e vocal, e Andy Williams, baterista, estudaram no mesmo colégio do baixista Jimi Goodwin, mas eles não se conheciam. Tempo depois em Haçienda, lendária casa noturna de Manchester do jornalista Tony Wilson e de membros do New Order, os três começaram a desenvolver as afinidades musicais.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

09 – Eels – Novocaine For The Soul

eels_beautiful_freak

Mark Oliver Everett, vocalista, é conhecido no meio artístico apenas pela vogal E. Além de frequentarem as paradas do mundinho indie, as músicas de Eels também foram incluídas em trilhas de filmes, como: Scream 2, American Beauty, The End of Violence, Hellboy II, e no primeiro Shrek.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

10 – Cake – Perhaps Perhaps Perhaps

cake_fashion_nugget

Cover de “Quizás, Quizás, Quizás”, do escritor cubano Osvaldo Farrés. Em 1947 a música virou hit mundial e ganhou letra em inglês escrita por Joe Davis. O conteúdo não é igual à letra original.

11 – Everclear – Santa Monica

everclear_sparkle_and_fade

Quando Sparkle And Fade foi lançado, em 1995, surgiram várias comparações ao Nirvana. As letras faziam referências às drogas. Após show em parceria do Foo Fighters Dave Grohl declarou que não encontrava similaridade alguma de Everclear com sua antiga banda.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

12 – Echobelly – Great Things

echobelly_on

Debbie Harry e Blondie foram as principais fontes de inspiração para a vocalista Sonya Madan. Em 1994, pouco antes de On ser gravado, REM convidou a banda para fazer os shows de abertura da turnê européia de Monster, e Madonna pretendia contratá-la para sua gravadora, a Marverick.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Bônus

Como presente de Natal adicionei mais um player ao post. Nele estão “Shake Appeal”, dos Stooges que foi o primeiro nome do Swervedriver; “Thirteen”, do Big Star que Teenage Fanclub usou para o quarto disco de estúdio; “Loser”, do Grateful Dead que o Cracker fez versão cover em Kerosene Hat, e Trio Los Panchos interpretando uma das infinitas regravações para o hit latino “Quizas, quizas, quizas” que Cake incluiu em Fashion Nuggets.

stooges_grateful_dead_big_star_trio_los_panchos

Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod
.
Para conhecer o que já foi publicado clique aqui.

Vinte anos do Grunge

As 10 capas do movimento Grunge.
por Alessandro Ziegler

O surgimento do Grunge aconteceu no final da década de 80 no estado de Washington, mas foi em 1991 na cidade de Seattle com as bandas Pearl Jam e Nirvana que a coisa chamou a atenção do mundo inteiro. Neste ano, entre agosto e setembro foram lançados respectivamente os discos Ten e Nevermind, mas muitas outras bandas tiveram o seu disco debut lançados entre 1990 e 1992 e que configuraram-se nesse ápice do Grunge, algumas delas graças à gravadora independente Subterranean Pop, ou simplesmente SubPop, que acabou se tornando tão idolatrada quanto às próprias bandas.

Claro que algumas bandas não são de Seattle e nem estrearam em 1991, como por exemplo o ponta-pé inicial em 1985 do Green River (que contou com musicos que formariam depois o Pearl Jam, Mudhoney e Mother Love Bone) e o próprio Nirvana que nem é de Seattle e sim de uma outra cidade do estado de Washington. Mas quando falamos desse marco para o rock n´roll não tem como evitar o rótulo: Grunge de Seattle.

Portanto, embarcando neste importante aniversário, apresento uma lista de 10 capas dessas bandas que marcaram pra sempre a história do rock em 1991.
Com vocês: Nirvana, Pearl Jam, Mudhoney, The Melvins, SoundGarden, Stone Temple Pilots, Alice in Chains, Green River, Mother Love Bone e Blood Circus.

1. Come on Down – Green River (1985)


2. Primal Rock Therapy – Blood Circus (1989)


3. Facelift – Alice in Chains (1990)


4. Apple – Mother Love Bone (1990)


5. Ten – Pearl Jam (1991)


6. Nevermind – Nirvana (1991)


7. Badmotorfinger – Soundgarden (1991)


8. Every Good Boy Deserves Fudge – Mudhoney (1991)


9. Bullhead – The Melvins (1991)


10. Core – Stone Temple Pilots (1992)


Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: