"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘The Black Keys’

The Killers, Lollapaloosa e stop do Foo fighters

Hey pessoal, boa tarde!

Hoje o post é variado, falando de vários assuntos que estão rodeando os bate papos entre eu e o Ziegler (o Lex não pois não trabalhamos juntos e eu sou separatista).

1 – The Killers

Baixei ilegalmente, vou ser preso o novo disco do Killers, o Battleborn. Quando lançaram o single Runaways fiquei muito empolgado, faz tempo que os caras não lançam nada e gostei do single, mas muito mais da capa.

Particularmente o Killers já foi uma boa novidade musicalmente falando, mas agora os caras sempre soam parecidos. Hot Fuss foi um disco lindo, Sam’s Town também foi estrondoso, mas daí em diante foi ficando repetitivo os sintetizadores do Brandon Flowers. Não é um disco ruim, porém mais do mesmo The Killers de 8 anos atrás.

Ouça o disco inteiro no Youtube e tire sua conclusão:

2 – Lollapaloosa > Festival insano, preço mais ainda (isso não significa ser injusto)

Nesta semana a organização do Lollapaloosa divulgou o line up prévio da edição 2013…nem vou falar muito, olhe a imagem abaixo

Tá lindo isso, mas 900 Dilmas não saem do bolso do proletário aqui para os três dias…rezo para que QOTSA e The Black Keys caiam no mesmo dia no line up individual.

Olha o vídeo chiquetoso que os caras produziram para divulgar…quase chorei, haha.

3 – Hiato do Foo Fighters

Nesta semana Dave Grohl postou no Facebook uma carta onde anuncia que o FF vai dar um tempo…pra mim isso cheira á tática de marketing, mas ok. Leia a carta e depois bata a cabeça ouvindo a música Low>>>

“Dave here. Just wanted to write and thank you all again from the bottom of my heart for another incredible year. (Our 18th, to be exact!) We truly never could have done any of this without you…

Never in my wildes

t dreams did I think Foo Fighters would make it this far. I never thought we COULD make it this far, to be honest. There were times when I didn’t think the band would survive. There were times when I wanted to give up. But… I can’t give up this band. And I never will. Because it’s not just a band to me. It’s my life. It’s my family. It’s my world.Yes… I was serious. I’m not sure when the Foo Fighters are going to play again. It feels strange to say that, but it’s a good thing for all of us to go away for a while. It’s one of the reasons we’re still here. Make sense? I never want to NOT be in this band. So, sometimes it’s good to just… put it back in the garage for a while…

But, no gold watches or vacations just yet… I’ll be focusing all of my energy on finishing up my Sound City documentary film and album for worldwide release in the very near future. A year in the making, it could be the biggest, most important project I’ve ever worked on. Get ready… it’s coming.

Me, Taylor, Nate, Pat, Chris, and Rami… I’m sure we’ll all see you out there… somewhere…

Thank you, thank you, thank you…

Dave”

http://www.euescuto.com.br/wp-content/uploads/2012/09/BattleBorn2012.png

Anúncios

one, two, esquece o three!

UMA BANDA, DOIS INTEGRANTES – POR ZÉ MÁRIO

Olá pessoal, bom dia!

Hoje vou trazer para vocês um assunto intrigante sobre duplas no mundo da música  (não, não vou falar de sertanejo ¬¬) que nos deixa de boca aberta e se perguntando “como duas pessoas fazem tanta coisa?”. Terá muitas duplas de rock e uma ou duas do estilo eletrônico/eletro rock que merecem ser mencionadas. Vamos parar de papo e ir para nossa lista!

1º – The Black Keys

Dan Auerbach e Patrick Carney formam esta dupla. Seu som tem muito do blues e rock mais clássico, com sons rasgados e concisos, sem muito espaço para “brisas” nas guitarras ou bateria. Surgiram no ano passado e são atualmente os queridinhos do mundo e mais cotados para os principais festivais do mundo. Seus clipes são peculiares e sempre engraçados. O  último clipe foi lançado para a música Gold on the ceiling, do diretor pancada das ideias Harmony Korine.

2º The White Stripes

Jack White é o cérebro, Meg White é pink digamos que um corpo manipulado por Jack para que o White Stripes funcione. Diferente do Black Keys, O WS viaja muito musicalmente falando, sendo em gravação oficial ou ao vivo. Jack é um guitarrista talentosíssimo (já rasguei seda demais para ele em outros posts), e isso contribui muito para o sucesso e importância que essa dupla tem. O Jack possui alguns projetos paralelos, como o Raconteurs e The Dead Weather, no qual a vocalista (Alice Mosshart) pertence também à uma dupla – The Kills – nossa próxima dupla

3º – The Kills

Como dito, Alice Mosshart forma a dupla The Kills com Jamie Hotel Vince. Cada um veio de uma banda diferente, Alice da banda Discount e jamie da banda Scarfo. Muitos críticos os comparam ao próprio White Stripes, mas discordo, poisna minha opinião o WS é um rock mais rasgado e barulhento, e o The Kills é um The XX com mais drive nas guitarras. Vamos ouvir Satellite

4º Tears for fears

Famosos na década de 80, tanto por ser um formato de banda até o momento um tanto  ímpar quanto por ser uma dos primeiros a usar o sintetizador em peso em suas composições. O disco “Songs for the big chair” é considerado sua obra-prima, e com certeza você já ouviu alguma vez uma das duas principais músicas deles, shout e  Everybody wants to rule the world, que ouviremos agora

5º MGMT

Em shows ao vivo são cinco integrantes, mas a banda original (e cérebro quando estão em cinco) é formada por  Ben Goldwasser e Andrew VanWyngarden. São rotulados como rock psicodélico (vai, merecem esse título), mas com uma pitada de eletrônico. Gosto muito do tipo de som que eles produzem, vale muito a pena procurar mais sobre eles. Vamos ouvir a música que é considerada seu maior sucesso, Kids

6º Daft Punk

Os franceses produzem muita coisa boa tratando-se de música eletronica, e o Daft Punk é um dos principais expoentes dessa afirmação.  Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter são os dois caras de capacete robóticos. Além da sonoridade, sua estética também é muito bem elaborada, tanto em shows quanto em capas de discos/clipes. Estes caras inclusive participaram de um filme (Tron – legacy) onde sua estética se encaixava perfeitamente com a proposta do filme. Vamos ouvir ao vivo a música Around the world

7º Justice

Quando falo que os franceses produzem muita coisa boa tratand0-se de música eletrônica falei sério, segue outro ótimo exemplo de dupla, o Justice. Formada por Gaspard Augé e Xavier de Rosnay, considero um meio termo entre Daft Punk e MGMT, com ótima pegada eletronica mas com uma boa dose de rock psicodélico adicionada. A mesma regra do Daft Punk se aplica eles – ótima estética visual em clipes/capas de disco. Vamos ouvir e ver Dance, um dos clipes que mais gosto

8º Simon & Garfunkel

Muito conhecidos por sua harmonia vocal, a dupla de folk era da década de 60. Era uma dupla conturbada, rodeada de discussões, mas ainda assim marcaram época.

Vamos ouvir a música Sounds of silence

9º Pet shop boys

Outra dupla da década de 80 que fez muito sucesso em sua época e ainda continuaram a criar, tanto que em 2006 foram indicados ao Grammy. Eles também foram responsáveis, junto ao Tears for fears pela popularização do sintetizador. Uma de suas músicas mais conhecidas é Love etc.

10º The Raveonettes

 

Duo dinamarquês de rock, que se conheceram em Copenhagen. Gravaram sozinhos o disco Whip It On nos estúdios da Sony em três semanas em 2001. Há quem diga que foram descobertos pelo diretor da Rolling Stone em um festival dinamarquês, o SPOT festival. Vamos fechar o post de hoje ouvindo Love in a trashcam:

 

“ACELERA…”

Domingo passado com o início a temporada 2012, meu querido e atento Rochinha me passou a dica que definiu o tema dessa semana. Rubinho Barrichello está traçando novo caminho à sua carreira de piloto. Contratado pela empresa KV agora ele disputa pela Fórmula Indy. Como parte de divulgação de sua nova empreitada no spot de rádio ele diz em alto e bom som que é INDY. Musicalmente falando PIADA PRONTA, né? Aproveitando toda velocidade que a competição automobilística exige a dose_INDIE acelerou o ritmo.

01 – Good Shoes – All In My Head

Banda formada pelos irmãos Rhys, guitarra e vocal; Tom, bateria; e mais dois amigos de infância que completam baixo e segunda guitarra. No início depois que participaram de festival promovido por revista de música assinar contrato com gravadora foi o passo seguinte. Clipe dirigido por Michel Gondry.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

02 – Correcto – Do It Better

Danny Saunders cantava em pubs de Glasgow quando recebeu convite de Richard Wright, guitarrista, para formar a banda. Will Bradley, de Life Without Buildings, assumiu a bateria. Quando assinaram contrato com gravadora Paul Thompson, de Franz Ferdinand, assumiu as baquetas e Patrick Doyle, de Royal We, o baixo.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

03 – Hot Hot Heat – No Not Now

Na ativa desde 1999 a grande virada aconteceu dois anos depois quando Steve Bays, tecladista, assumiu os vocais. Make Up The Breakdown carrega nas referências retrô, como se tivesse sido agravado em 1981 e descoberto recentemente. Sem parecer datado.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

04 – Maxïmo Park – The Coast Is Always Changing

Maxïmo Park é referência a Máximo Gómez y Báez, major-general na Guerra dos Dez Anos (1868-1878) e comandante militar em Cuba na guerra pela indepedência do país (1895-1898). A Certain Trigger aborda as alegrias e frustrações de ser adolescente em Newcastle, ao Norte da Inglaterra. As principais referências são The Jam, XTC, Wire e The Smiths.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

05 – The Rakes – 1989

Klang, palavra em alemão, é o nome mais apropriado para o terceiro disco que foi gravado em Berlim. A cada lançamento a banda vem aperfeiçoando suas músicas. “1989” serve de alívio aos fãs acostumados a sonoridade da primeira fase.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

06 – The Libertines – Vertigo

Quando surgiu a banda disputou reconhecimento com White Stripes, The Vines, Doves, The Hives, entre outras. Alguns críticos consideraram Up The Bracket a “resposta inglesa” para Is This It, de The Strokes. O disco teve produção artística de Mick Jones, ex-The Clash e Big Audio Dynamite.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

07 – The Black Keys – Strange Times

Attack & Release, de 2007, foi produzido por Danger Mouse. A ideia original seria gravar o disco todo em parceria de Ike Turner. Infelizmente o músico morreu no mesmo ano.

08 – Kasabian – Fast Fuse

As influências de Stone Roses, Happy Mondays e Oasis nos singles lançados no começo dos anos 2000 são evidentes. O nome da banda é referência a Linda Kasabian, integrante da quadrilha de Charles Manson, responsável pelo assassinato da atriz Sharon Tate, em 1969.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

09 – The Futureheads – Beginning Of The Twist

Paralelo à banda Barry Hyde, vocal e guitarra, e Pete Brewis, baterista, desenvolvem projeto social em Sunderland chamado City Detached Youth Project que tem objetivo de iniciar crianças menos favorecidas à música.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

10 – Primal Scream – Can’t Go Back

Beautiful Future, de 2008, foi o último disco de inéditas. Na sequência teve início a turnê Screamadelica que passou pelo Brasil. “Can’t Go Back” foi escrita e gravada em parceria de Kevin Shields, de My Bloody Valentine.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

11 – Toadies – I’m Not In Love

Música de Talking Heads, “I’m Not In Love” foi gravada por Toadies para trilha do filme Basquiat, de 1996. Em sua história a troca de músicos foi constante. Quando a banda encerrou atividades em 2001 o único integrante original era o vocalista Tod Lewis.

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
OBRIGADO Rochinha por me ajudar a definir o setlist. Para conhecer as edições anteriores da dose_INDIE e Dez Capas clique aqui. Até sexta que vem.

de SACO cheio?

O Natal é a época do ano em que os corações se enchem de alegria, a felicidade exala pelos poros, a benevolência é o sentimento da vez (?) Minha dúvida continua. Repito e completo a pergunta do título do post:
a. (    ) de SACO cheio desse período? ou
b. (    ) de SACO cheio de presentes?
O setlist, de alguma forma, é minha resposta.

01 – Clearlake
I Hate It That I Got What I Wanted

02 – Arizona
Splintering

03 – Aqueduct
Hardcore Days And Softcore Nights

04 – Calexico
Service And Repair

05 – The Caulfield Sisters
Phoebe’s Song

06 – Zero 7
Your Place

07 – Autolux
Angry Candy

08 – Failure
Stuck On You

09 – Fantomas
Twin PeaksFire Walk With Me

MATE o leão e Twin Peaks por ZILEX – use sua camiseta ao máximo

10 – The Black Keys
Just A Little Heat

11 – Calla
Play Dead

12 – Lawrence Arabia
Auckland CBD Part 2

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
Ainda não consegui resolver o problema de captura de audio usando microfone como aconteceu nas edições 109 e 110. Para evitar que a locução fique “lá no fundo” o podcast está apenas com as músicas. Em breve tudo voltará ao normal. Para conhecer o que foi publicado anteriormente clique aqui. Escute também a dose_INDIE Natal 2009 e Natal 2010. Até sexta que vem.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: