"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘the smiths’

Meias

***

Você já viu por aqui as mais diversas releituras de capas de rock. É gente fazendo arte com Lego, recriando fotos com gatos, edição passada mesmo postei uma releitura via escala de cores Pantone.
Mas a criatividade da molecada não para! Fico imaginando o sujeito olhando para uma capa de disco e se perguntando: como poderia recriar isso aqui? E com um súbito desvio de olhar, o que ele enxerga como resposta?
Exatamente suas meias!! Então vamos lá, dez capas clássicas usando as meias do fotógrafo Thom Moore.
Quem sabe não consigo um contato com o rapaz para que ele faça uma versão para o nosso amigo Lex e suas meias marcadas com bolinhas.

E você recriaria uma capa com o que?

1. dark side of the moon – pink floyd

2. screamadelica – primal scream

3. songs for the death
queens of the stone age

4. voodoo louge – rolling stones

5. is this it – the strokes

6. pearl jam – pearl jam

7. renegades – rage against the machine

8. meat is murder – the smiths

9. andy warhol
the velvet underground & nico

10. metallica (black album) – metallica

Anúncios

Histórias de MORRISSEY

“…I am a simple man, not much to gain or lose…”

Desde 2000 uma das lembranças que mantenho viva da apresentação de Morrissey em São Paulo é a da música “A Swallow On My Neck”. Ela foi lançada no lado b do single Sunny e pouquíssimas vezes interpretada ao vivo. Doze anos depois espero ser surpreendido novamente durante o show que assistirei domingo. Com certeza será uma celebração.

Dia 6, terça-feira, a dose_INDIE completou três anos. Para evitar excesso de comemoração em apenas um post a de hoje será Histórias de MORRISSEY, abordando os layouts de seus discos. Preparei mesmo esquema como as duas edições com as capas do The Smiths*. Não as melhores e sim as que têm histórias. O podcast será publicado sábado.

1. Viva Hate

 

Primeiro disco-solo lançado em março de 1988. Apenas a edição em vinil distribuída na Austrália veio com nome Education In Reverse. A justificativa foi erro de digitação. Em 1997 a EMI relançou o trabalho como parte das festividades de seu centenário. Foram incluídas oito músicas sobras de estúdio da época e nova capa. Dia 26 deste mês o disco será relançado mais uma vez. Ele foi remasterizado por Stephen Street, produtor original e virá com “Treat Me Like A Human Being”, escrita em parceria de Chrissie Hynde, dos Pretenders.

 

2. The Last Of The Famous International Playboys

Pequeno Mozz aos sete anos de idade brincando em árvore de Chorlton-on-Medlock, Sudoeste de Manchester.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Em 1987 Harvey Keitel não autorizou uso de sua imagem para ser capa de Strangeways, He We Come, último disco de estúdio do The Smiths, mas permitiu usá-la na divulgação da turnê de 1991. Imagem de fundo de palco foi uma das aplicações, como na apresentação acima que faz parte do home video Live In Dallas.

3. Bona Drag

 

Foto capturada do clipe “November Spawned A Monster”, de 1990. Em 2010 o disco foi relançado com seis sobras de estúdio e a cor da camisa voltou ao tom original.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Atenção aos 4 minutos e 15 segundos do vídeo

Um pouco de história. Talvez o meu cd Bona Drag seja o primeiro do Brasil. Uma amiga da época da escola de inglês viajou para Londres em 1990 e sua volta coincidiria com a data de lançamento do disco. Perguntei se ela aceitava “encomenda” e ela disse sim desde que eu entregasse o dinheiro. Comprei as libras e pedi também Viva Hate. O meu era em vinil. Um dia antes do retorno ela foi “às compras” e achou pequena loja. O proprietário veio ao seu encontro e ela entregou meu bilhete com os nomes dos discos. Um ele disse que tinha (Viva Hate, de 1988). O outro ele comentou que precisava verificar porque havia chegado pacote com as encomendas da semana, mas ainda estava fechado. Ele pediu para ela aguardar e depois de alguns minutos apareceu com Bona Drag na mão. Como o cd não estava cadastrado ele cobrou o mesmo valor da nota, ou seja, o lançamento custou mais barato que o disco de dois anos antes. Essa situação aconteceu no período da manhã. Na madrugada seguinte minha amiga voltou para o Brasil.

4. Our Frank

Primeiro single de Kill Uncle. Quando o clipe estava para ser lançado em 1991 Morrissey recebeu acusações de racismo, como aconteceu em 2010 quando declarou que the Chinese are a subspecies” por causa dos maus tratos aos animais. Na trama aparece skinheads andando por Londres. Para evitar problemas o clipe foi retirado da compilação “The Malady Lingers On”.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Também em 1991 a unidade da EMI no Japão lançou video single com três clipes da fase Kill Uncle. São eles: “Sing Your Life, “Sister, I’m Poet” e “Our Frank”.

5. Certain People I Know

A capa da versão em cd é diferente do formato 7”. Na primeira há foto conceitual. No segundo o layout fez homenagem a Marc Bolan e T-Rex.

 

6. Interlude

Única música gravada em parceria de Siouxsie Sioux, de Siouxsie And The Banshees. Quem possui a versão do single em vinil tem bilhete premiado da loteria em mãos. Reza lenda que no mercado paralelo ele é comercializado a preço de ouro por ser tiragem limitadíssima. A foto foi registrada por Roger Mayne, em 1957 e recebeu título Girl Jiving In Southam Street. A adolescente chama Eileen Sheekey.

7.1. World Of Morrissey

7.2. The Smiths – Sweet And Tender Hooligan

Os dois lançamentos trazem Cornelius Carr, lutador de boxe, na capa. A imagem abaixo foi registrada na época da compilação World Of Morrissey. O atleta também aparece no clipe de “Boxers”.

Um pouco de história. A expressão You Are The Quarry, nome do disco de 2004, é usada no boxe para indicar lutador fraco, algo como “você é o fracote”.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Atenção a 2 minutos e 42 segundos do vídeo

8. Have-A-Go Merchant

Imagem retirada de Skinhead, primeiro livro documental do fotógrafo de moda Nick Knight, lançado em 1982. A ironia fica por conta de “All Because God Loved You”.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

9.1. Southpaw Grammar

 

9.2. Maladjusted

 

Em 2009 quando os dois discos foram relançados com novo layout e músicas extras Morrissey pediu aos fãs para não comprá-los. Ele não autorizou a gravadora realizar o trabalho e não recebeu royalty algum. Em março de 2011 ele conseguiu na justiça suspensão das vendas e retirada de ambos do mercado.

10. The Boy Racer

Segundo single de Southpaw Grammar, de 1995. Houve especulação de que o garoto da foto seria seu sobrinho, a mesma criança que lhe entrega Le Petit Prince no clipe de Suedehead. Apenas a primeira afirmação foi desmentida.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Atenção aos 31 segundos e a 1 minuto do vídeo

11. I’m Throwing My Arms Around Paris

 

Fugindo do usual as opções de layout estão disponíveis para a contra capa do single. Três diferentes foram lançados. O primeiro traz os músicos do cantor segurando discos de Herb Alpert And The Tijuana Brass. No segundo eles “desaprovam” Greatest Hits, lançado um ano antes. E no terceiro Morrissey e banda aparecem em pêlo.

 

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

12. Something Is Squeezing My Skull

Fã declarado dos Ramones, para capa de “Something Is Squeezing My Skull” o túmulo de Johnny Ramone serviu de locação. Em 2010, sexta-feira, 13 de agosto, Morrissey foi convidado pelo site The Quietus a listar os treze discos mais importantes de sua vida. Ramones, de 1976, ocupou a segunda posição.

A perspectiva do braço no peito de Johnny Ramone está errada, não está?

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

 EXTRA 1: Nancy Sinatra – Let Me Kiss You

 

Originalmente a música foi lançada pelo cantor em You Are The Quarry. Morrissey e Nancy Sinatra, filha de Blue Eyes, são amigos de longa data e foram vizinhos durante anos em Los Angeles. Foi por seu intermédio que ela assinou contrato com Attack Records para lançar o single.

EXTRA 2: The Primitives

A banda surgiu em 1985, e lançou o primeiro disco apenas três anos depois. Vários singles confortaram a ausência de obra completa. “Stop Killing Me”, de 1987, tinha um fã em especial. É possível comprar a camiseta aqui.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.
Infelizmente o clipe está incompleto

.
Morrissey escreveu autobiografia, tarefa executada em três anos. Bem provável o lançamento ser em 2012. Também está pronto disco com inéditas esperando contrato com gravadora ser assinado. Pelo visto este ano promete para nós fãs. Tomara que não demore mais doze anos para ele voltar ao Brasil. Outras capas e histórias envolvem sua carreira, mas paro por aqui. Clique em História para contar* e MAIS História para contar* para ler o que já foi publicado sobre as capas do The Smiths.

COQUETEL

“E aí galera, eu sou o Lex e essa é a primeira dose_INDIE, do Sete Doses. Bom, essa é a primeira semana do blog e o tema passado pros catorze colaboradores é “O Início”. Então eu escolhi músicas dos primeiros discos dessas bandas que nós vamos escutar. Entre outras coisas vai rolar The Smiths, Blur, Pavement, Oasis e muito mais. Boa diversão e escute bem alto.”

Esse foi o texto de abertura da dose_INDIE #1 publicado em 6 de março de 2009. A vergonha de ouvir minha voz foi IMENSA, o amadorismo IMPERAVA, mas o tesão de fazer parte do blog, em dividir aquela ideia com os outros treze amigos superou tudo. Confira abaixo um dos ensaios que deu errado.

A comemoração continua na sexta. “É isso aí. Valeu.”

História para contar

Como tema de meu primeiro post escolhi o The Smiths, minha banda preferida. Aqui não estão “as melhores capas” e sim as que têm história para contar. Sempre gostei das soluções encontradas por Morrissey para cada lançamento. Sim, além de vocalista, os layouts eram de sua responsabilidade. Dia 3 de outubro toda obra será relançada em edição de luxo. Discos e singles foram remasterizados a partir dos takes originais e tiveram supervisão direta do guitarrista Johnny Marr. Está no pacote The Complete Picture, dvd com os clipes e apresentações ao vivo.

1. The Smiths

Imagem captura de Flesh, de 1968, filme de arte de Andy Warhol que compõe a trilogia formada por Trash e Heat.

O modelo chama Joe Dallesandro. Ele também aparece na capa de Sticky Fingers, dos Rolling Stones.

2. The Queen Is Dead

Alain Delon ilustra a capa de The Queen Is Dead. Quando The Smiths acabou Morrissey declarou que jogou no lixo todos os pertences que lembravam sua antiga banda, menos a carta que recebeu do ator francês elogiando o trabalho.


Atenção aos 2 minutos e 26 segundos do video

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

3. This Charming Man

Orphée, de 1950, foi dirigido por Jean Cocteau e estrelado por Jean Marais. Na cena original o personagem tenta seguir algumas pessoas através de um espelho, mas não consegue. Minutos depois ele acorda deitado sobre um pequeno lago.


Atenção a 1 minuto e 30 segundos do video

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

4. What Difference Does It Make?

The Collector conta história de Frederick Clegg, rapaz solitário que coleciona borboletas. Ele é apaixonado por Miranda Grey, estudante de arte. Por causa da timidez ele não consegue conversar com a moça. Sua vida muda após ganhar prêmio de loteria, o que permite comprar casa no campo. O sentimento de solidão aumenta e ele resolve “colecionar” a jovem.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Dois momentos importantes na carreira do ator Terence Stamp: como General Zod, em Superman II, de 1980…

…e como Bernadette no filme Priscilla – A Rainha do Deserto.

5. The Complete Picture

Compilação de clipes e apresentações ao vivo lançada em 1992. O ator chama Richard Davalos. Ele também aparece em Strangeways, Here We Come, último disco de estúdio do The Smiths. As duas imagens foram capturadas do filme East Of Eden, estrelado por James Dean. É possível reconhecer sua mão?


Atenção aos 49 segundos do video

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

A ideia original para Strangeways… era usar foto de Harvey Keitel em Quem Bate À Minha Porta, filmado por Martin Scorcese em 1967, mas o ator não autorizou o uso de sua imagem.

Capa oficial…

…e opção não autorizada.

6. I Started Something I Couldn’t Finish


Atenção a 1 minuto e 34 segundos do video

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

7. Stop Me If You Think You’ve Heard This One Before

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Atenção aos 3 minutos e 30 segundos do video

As duas imagens foram capturadas do filme The Family Way, de 1966. A atriz chama Avril Angers, e o ator Murray Head. O filme conta história de jovem casal que após cerimônia de casamento viajaria para Ilha Majorca, na Espanha, mas descobre que foi enganado pelo agente de viagem. A trilha foi escrita e gravada por Paul McCartney, em 1967. O título aparece como “The George Martin Orchestra – The Family Way Original Motion Picture Soundtrack”. Ela é considerada o primeiro disco solo de um ex-Beatle. Wonderwall Music, de George Harrison, foi lançado em novembro de 1968.

8. Panic

Richard Bradford, ator americano que nos anos 60 estrelou Man In A Suitcase, série de televisão no Reino Unido. Depois de ver o trabalho pronto ele declarou: “Eu lembro do The Smiths. Ouvi que eles eram uma grande banda. Eles queriam usar minha imagem e eu disse SIM. Eles mandaram apenas a capa, sem o disco dentro. Eu nunca escutei Panic.”

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

9. William It Was Really Nothing

Na versão original do single, em vinil, está Billie Whitelaw na capa. A imagem foi capturada do filme Charlie Bubbles, de 1967. Anos depois a versão em cd, lançada no Reino Unido, vem com Colin Campbell do filme The Leather Boys, de 1964.


Cenas do filme The Leather Boys viraram clipe de “Girlfriend In A Coma”.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Em 1988 Billie Whitelaw participou do clipe de “Everyday Is Like Sunday”, do Morrissey. Ela aparece dirigindo o carro e dentro do apartamento segurando a chaleira elétrica.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

10. Singles

A banda acabou em 1987. Em 1992 chegou ao mercado a compilação Best I e II. Três anos mais tarde Singles foi lançada com Diana Dors na capa. A imagem foi capturada de Yield Into The Night, de 1956, dirigido por J. Lee Thompson.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

EXTRA: Shoplifters Of The World Unite

Primeira foto oficial de divulgação de Elvis Presley, registrada em 1955 por James R. Reid, seu cabelereiro.

.
Outras capas, artistas e mais histórias para contar envolvem o The Smiths, mas paro por aqui. Para ler o que já foi publicado clique aqui. Leia também MAIS História para contar, segunda parte deste post. Até quarta que vem.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: