"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘Tomahawk’

LOLLAPALOOZA 2013

dose_INDIE-162

Na sexta-feira começará a maratona de três dias de shows do Lollapalooza 2013. Mais de setenta atrações espalhadas em seis palcos do Jockey Club de São Paulo. Entre os principais passarão nove bandas em que faço questão de estar na plateia. Acho que estou preparado fisicamente para aguentar até domingo. Na segunda-feira saberei a resposta. Haja saúde e, acima de tudo, dinheiro para pagar oito reais por um copo de chope de 400 ml. Ainda bem que ele vem gelado.

01 – Pearl Jam – The Fixer

pearl_jam_backspacer

O fã que comprou a versão digital de Backspacer também recebeu senha para baixar duas das onze opções de apresentações ao vivo, registradas de 2005 a 2008, disponíveis no site da banda. O projeto gráfico do disco foi desenvolvido pelo cartunista Dan Perkins e demorou seis meses para ser finalizado.

02 – The Hives – Wait A Minute

the_hives_lex_hives

Lex Hives foi produzido pela própria banda. As duas músicas extras que estão na versão deluxe do disco foram escritas e gravadas em parceria de Josh Homme, do Queens Of The Stone Age. A expressão Lex Hives vem da Roma antiga, e era usada para tornar público um conjunto de leis e aceitá-las como padrão.

03 – Cake – Sheep Go To Heaven

cake_prolonging_the_magic

Prolonging The Magic foi o primeiro disco em que o vocalista John McCrea escreveu todas as letras e assumiu a produção de estúdio sozinho. O nome “Sheep Go To Heaven” foi inspirado em citação bíblica. No clipe a banda está caracterizada de KISS. Bacana a solução encontrada para a maquiagem do cinco integrante.

04 – Queens Of The Stone Age – 3’s And 7’s

queens_of_the_stone_age_era_vulgaris

A turnê de Era Vulgaris ficou conhecida como Duluth Tour. A banda pretendia passar por países e pequenas cidades por onde nunca haviam tocado, como em Duluth, no estado de Minnesota. Em agosto de 2008 aconteceu as duas últimas apresentações desta fase. Uma para o Reading Festival e a outra em Leeds. Josh Homme havia anunciado que no mês seguinte a banda entraria em estúdio para gravar disco novo. Promessa não cumprida há cinco anos.

05 – The Black Keys – Howlin’ For You

the_black_keys_brothers

Música lançada em Brother, de 2010. O clipe de “Howlin’ For You” foi dirigido por Chris Marrs Piliero, e faz paródia aos filmes de ação e vingança. Na trama sexy justiceira honra a memória de seu pai, e executa todos os envolvidos em sua morte. A trilha do “filme” é assinada por Dan Auerbach e Patrick Carney, da banda Las Teclas de Negro.

06 – Franz Ferdinand – Can’t Stop Feeling

franz_ferdinand_tonight

A capa de Tonight foi inspirada no trabalho de Weegee, pseudônimo do fotógrafo Arthur Fellig. Ele era conhecido por registrar cenas de crime e ações urbanas, nos anos 30. “Can’t Stop Feeling” era uma das músicas escolhidas para entrar no homônimo disco de estreia, mas foi substituída por “Michael”. Depois de receber novo arranjo ela foi lançada no terceiro trabalho de estúdio.

07 – The Flaming Lips – Sun Blows Up Today

the_flaming_lips_the_terror

Originalmente The Terros será lançado dia 2 de abril, e virá com nove músicas. Outras duas extras estarão disponíveis apenas via iTunes. “Sun Blows Up Today” é uma delas. The Flaming Lips está com outro disco quase pronto. Wayne Coyne e trupe estão regravando The Stone Roses, homônimo de estreia da banda inglesa. Oito das treze músicas estão prontas. Comentei com o amigo Thiago Kazu que estou ansioso para escutar as versões de “Song For My Sugar Spun Sister” e “I Am The Resurrection”.

“Sun Blows Up Today” foi usada como trilha de comercial para a Hyundai, veiculado durante a final do Super Bowl 2013. Para assistir o clipe original clique aqui.

08 – Tomahawk – Stone Letter

tomahawk_oddfellows

Tomahawk é mais um dos inúmeros projetos desenvolvidos por Mike Patton, do Mr. Bungle, do Fantomas e ex-Faith No More. A banda é completada por Duane Denison, ex-guitarrista do Jesus Lizard; John Stainer, ex-baterista do Helmet, e Trevor Dunn, ex-baixista do Mr. Bungle.

O lançamento de Oddfellows estava previsto para 2012, mas aconteceu apenas em janeiro deste ano. “Stone Letter” foi o primeiro single.

09 – Planet Hemp – Adoled

planet_hemp_os_caes_ladram_mas_a_caravana_nao_para

Depois de longo período sem tocar ao vivo, em 2010, a banda realizou para convidados única apresentação comemorativa aos vinte anos da Mtv Brasil. Em 2012 outro aniversário mobilizou os músicos, os trinta do Circo Voador, no Rio de Janeiro. Em menos de uma hora os ingressos para os três shows estavam esgotados.

Atendendo ao pedido dos fãs a banda finalmente resolveu colocar o pé na estrada, e está confirmada como uma das atrações do Lollapalooza americano que acontecerá em agosto deste ano. O lançamento de DVD com apresentação ao vivo também está no pacote. A possibilidade de disco com inéditas foi descartada.

.
Baixe o podcast em MP3, ou no formato para iPod.

.
Há grande número de bandas que participarão do Lollapalooza 2013 que não conheço. Espero ter boas surpresas. Em 2012 também preparei edição especial da dose_INDIE sobre o festival. Clique aqui e escute o podcast do Lollapalooza 2012. Para conhecer o que já foi publicado antes acesse o link. Até semana que vem.

o mundo imaginário de Mike Patton

Louco de pedra mas um gênio da música. Sua música não se limita a sua banda Faith No More (o que diga-se de passagem, já seria o suficiente para colocá-lo como um dos grandes cantores e compositores do rock), Patton é experimentalismo puro, participou de diversos projetos e sua “carreira solo” é mais eclética que solo.

Vamos navegar nas mil faces do Dr. Mike Patton: Fantômas, Mr.Bungle, canções italianas, canções adultas, bossa nova e claro Faith No More.

1. Angel Dust – Faith No More

Angel Dust é o segundo álbum do FNM e eu considero um dos dez melhores discos de rock de todos os tempos – sem exageros!
Me lembro quando foi lançado em 1992, causou grande repúdio naqueles que tinham suas atenções voltadas para a banda. Na memória ainda fresca, haviam os hits Epic, Falling to Pieces e a balada Edge of the World, só que o grupo californiano aparece com uma mistura de rock e bases eletrônicas.

Muitos torceram o nariz e não entenderam músicas como Midlife Crisis, Kindergarten e Be Aggressive. O disco pelas mãos dessas pessoas foi direto para a lata do lixo. Eu, logo de cara, achei o disco sensacional. Muito além do que outras bandas de rock estavam fazendo no momento, enxerguei a banda apontando para um caminho que poucos se atreveriam no rock. E assim foi.

Só que quase uma década depois escuto pessoas e bandas colocando Angel Dust como um dos mais influentes discos de todos os tempos. System of a Down, Slipknot e Linkin Park devem venerar e agradecer a existência dele. É uma pena quando algo é criado e só com o tempo que se consegue seu real entendimento, talvez seja por isso que eu o considere um puta disco – porque eu acreditei desde o inicio.

2. Peeping Tom – Mike Patton

Mike queria criar a nova música “pop” e para isso chamou Imani Coppola, Norah Jones, Massive Attack e Bebel Gilberto.

3. Mr. Bungle – Mr. Bungle

Mr. Bungle foi a ponte de entrada de Mike Patton para o FNM, mas mesmo se tornando o frontman de uma nova banda, o “senhor esquisito” continuou como vocalista do “sr. confusão” e lançaram três álbuns entre 1991 e 1999. Apontado como um misto de Funk, Metal, Ska e Jazz, a banda nunca conseguiu alcançar grande destaque na mídia. A não ser pelas constantes brigas com o Red Hot Chili Peppers e o processo que o ator John Travolta moveu devido a música Quote Unquote (entre aspas) se chamar anteriormente Travolta. Ela é sensacional!!!

4. King for a Day… Fool for a Lifetime
Faith No More

Que belo título: Rei por um dia… Tolo por toda a vida. A capa do terceiro disco do FNM é baseada na graphic novel Flood! de Eric Drooker.
Entre suas canções, a porrada Digging the Grave, a estranha Caralho Voador e a levada soul de Evidence – que ganhou uma versão em português tocada ao vivo nos festivais Maquinaria e SWU.

a arte de Eric Drooker

Esta música eu dedico a meu primeiro amor, entende? A mulher do aeroporto…

Se queres abrir o buraco
Baixa a cabeça e ai esta
Afasta bem tua cor de circunstância
Afasta…Evidência
Eu não senti nada
Não teve significado algum
Olhos nos olhos e declara
Não senti nada

5. Tomahawk. – Tomahawk

Banda formada em 2001 conta ainda com Duane Denison (Jesus Lizard), John Stanier (Helmet) e Kevin Rutmanis (Melvis). Foram lançados três discos e recentemente anunciaram na revista Rolling Stone que um quarto álbum está previsto para 2012.

6. Mondo Cane – Mike Patton

Clássicos (ou não) da música pop italiana dos anos 50 e 60. Foi gravado com uma orquestra de 65 instrumentistas e inicialmente seria lançado em 2008. Para nossa sorte e mais ainda de quem foi ao Rock In Rio deste ano, pode conhecer e apreciar mais essa desventura de Mike Patton. Na minha opinião foi o melhor show do Rock “eu” rio (e foram muitas risadas!!)

7. Suspended Animation – Fantômas

Este é o quarto e último disco de mais um projeto paralelo de Patton, o Fantômas. A banda é formada por integrantes do Melvis, Mr. Bungle e ainda conta com o baterista Dave Lombardo do Slayer, que aceitou o convite depois da recusa de Iggor Cavalera. O interessante (ou bizarro) deste disco são os títulos das músicas: 04/01/05 Friday, 04/02/05 Saturday, 04/03/05 Sunday, 04/04/05 Monday… Ou seja, são os dias do mês de abril. O trabalho é um tributo aos feriados obscuros que acontecem neste mês, e tem relação com sons de cartoons para crianças. Alguém consegue explicar melhor isso?? Hein senhor baterista do Slayer?

8. General Patton vs The X-Ecutioners
Mike Patton & The X-Ecutioners

Imagine uma guerra sonora entre Rock e Hip Hop? O disco é isso. E com umas inserções de cinema. Parece ser quase impossível descrever este projeto reunindo o vocal do FNM e um trio nova iorquino de Rap, mas em algumas músicas é possível enxergar uma proximidade ao Angel Dust. Confira abaixo uma faixa que é bem bacana. Pura colagem!

9. Adult Themes for Voice – Mike Patton

São 34 faixas compostas de ruídos vocais do Mike Patton, gravadas em quartos de hotel durante uma turnê do FNM. Consistem principalmente de Patton gritando, batendo palmas, guinchando e gemendo. É claro que não estou considerando isso música, não sou tão louco assim como ele. Porém como o DezCapas aponta para as capas, achei bem singular a relação desta foto com as gravações.

10. The Solitude of Prime Numbers
Music from the Film – Mike Patton

Filme italiano baseado no romance de mesmo nome por Paolo Giordano, e dirigido por Saverio Costanzo. Lembrando que trata-se de uma trilha OST (Original Sound Track), ou seja, são composições instrumentais de abertura do filme, ou encerramento, fundo, ambiente. O que faz disso um ponto importante na carreira de um músico que tem lançado tantos projetos experimentais. Abaixo o trailer do filme.

Até o próximo post!!

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: