"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘Velouria’

O Imperador JÁ VAI TARDE?

Talvez. Em abril de 2011 escrevi sobre sua volta. Foi o assunto futebolístico mais comentado no período. A expectativa de bons resultados foi substituída por realidade oposta ao esperado. Li que o Campeão dos Campeões não pretende renovar seu contrato. Quem sabe não há vaga no time de várzea de Piraporinha? Sábio foi o Palestra Itália. Para piorar a atual situação Patrícia Poeta não apresenta mais o Fantástico. Agora para quem o Imperador vai pedir MAIS UM voto de confiança? Sinceramente não faço questão alguma em saber. Problemas antigos que ainda dão o que falar foi a ideia em mente para a escolha do setlist. Adaptei para bandas antigas que não perderam o lance. É gol.

01 – Hoodoo Gurus – Waking Up Tired – 1996

Até Crank, de 1994, a banda havia criado um padrão, os fãs sabiam como seria o próximo disco. Em In Blue Cave as guitarras soaram mais altas, um pouco pesadas, mas nada além do esperado, apenas Hoodoo Gurus.

02 – INXS – Kiss The Dirt
(Falling Down The Mountain) – 1985

Desde o segundo disco INXS estava abandonando a sonoridade 100% pop para soar mais rock’ n’ roll. Em Listen Like Thieves chegaram bem perto disso. Na minha opinião a banda sempre acertou com os clipes. “Kiss The Dirt (Falling Down The Mountain)” é um dos meus preferidos.

03 – James – Born Of Frustration – 1992

“Born Of Frustration” é bom exemplo de como a banda evoluiu no arranjo de suas músicas, mas sem perder elementos típicos que compõem o conjunto de sua obra. Mérito também ao vigor da interpretação do vocalista Tim Booth.

04 – Echo And The Bunnymen – Seven Seas – 1984

Uma pequena orquestra acompanhou a banda, em 2010, no show de Ocean Rain, em São Paulo. O disco foi interpretado na íntegra e na ordem das músicas. Assumo minha total cabacice por ter perdido a apresentação. Imaginava que seria em um mês e foi no anterior.

05 – Pixies – Velouria – 1990

Bossanova é considerado o disco mais fraco da banda, mas não deixa de ser importante. Nele há sinais de cansaço e genialidade. Black Francis o considera seu preferido. No mesmo ano Kim Deal, meu amor indie, lançou Pod, o primeiro das Breeders.

06 – Morrissey – Have A Go Merchant – 1995

A música foi lançada no lado B do singles Boxers. O clipe não é oficial e sim trecho do show Introducing Morrissey, de 1996, nunca lançado oficialmente em DVD.

07 – Midnight Oil – Surf’s Up Tonight – 1996

A produção de Breathe foi menos elaborada que Earth And Sun And Moon. As músicas são diretas, mais fiéis as demos o que resultou num disco menos ambicioso mas tão forte quanto Diesel And Dust.

08 – The Cure – The End Of The World – 2004

Há certo tempo Robert Smith anuncia que pretende acabar com a banda. Essa intensão ficava impressa em cada disco lançado. “The Cure” foi gravado em menos de cinco meses e não carrega essa vontade.

“go if you want to
I never try to stop you
know there’s a reason
for all of this you’re feeling
love it’s not my call
you couldn’t ever love me more
you couldn’t love me more
you couldn’t love…”

…maybe we didn’t understand
not just a boy and a girl
it’s just the end of
the end of the world…”

09 – Electronic – Get The Message – 1991

O single “Gettin Away With It” foi lançado em 1989 pela dupla Bernard Summer, do New Order, e Johnny Marr, ex-The Smiths, e teve participação de Neil Tennant, do Pet Shop Boys, no vocal. A música segurou por dois anos a expectativa para o disco de estréia do Electronic. Quando ele chegou às lojas a segunda música de trabalho foi “Get The Message.”

10 – The Jesus And Mary Chain – Come On – 1994

Stoned & Dethroned está um passo a frente comparado ao som que a banda fazia. Há bons momentos acústicos, rock folk e de parceria, como em “Sometimes, Always”, com Hope Saldoval, do Mazzy Star e Shane Macgowan, do Pogues, em “God Help Me”. Sou fãzaço da banda. A apresentação do Planeta Terra, de 2008, foi o show da minha vida. Sobre o conjunto da obra o carinho especial é por Stoned & Dethroned.

11 – R.E.M. – Untitled Hidden Track – 1988

Última música de Green e sem título. Alguns fãs a chamam de “Eleven” por ser a posição que ocupa no disco.

“this world is big and so-awake
I stayed up late to hear your voice
this light is here to keep you warm
this song is here to keep you strong

I made a list of things to say
but all I really want to say
all I really want to say is
hold her and keep him strong
while I’m away from here
hold her and keep her strong
while I’m away from here…”

12 – Sugarcubes – Deus – 1988

Björk sempre esteve acima da média. O primeiro disco que gravou foi aos onze anos com canções infantis. Life’s Too Good foi o primeiro do Sugarcubes e “Deus” a primeira música que conheci da banda. Esclarecedora.

“Deus does not exit
but if he does, he lives in the sky above me
in the fattest largest cloud up there
he’s whiter than white and cleaner then clean
he wants to reach me…

…I once met him
it really surprised me
he put me in a bath tub
made me squeeky clean
really clean

he said hi. I said hi
I was still clean…”
.

Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
Para conhecer as edições anteriores da dose_INDIE e do Dez Capas clique aqui. Até sexta que vem.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: