"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘Velvet Revolver’

superHERO

As trilhas de filmes às vezes nos reservam surpresas. Pode acontecer do vocalista de nossa banda preferida gravar algo sozinho, ou aparecer alguém interpretando cover inusitado. Vai da ocasião. Depois de quinze anos sem lançar material inédito Soundgarden reaparece com música que será tema de Os Vingadores. Aproveitei a pegada rock and roll e defini que o conceito da dose_INDIE seria SUPERHERO.

01 – Avengers
01.1 – Soundgarden – Live To Rise

Com promessa de lançar disco completo em 2012, Chris Cornell declarou que o mais difícil de gravar música específica para filme é não abandonar a identidade da banda e ainda combinar com a trama.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

02 – Spider-man
02.1 – The Strokes – When It Started

Quando Is This It foi lançado a versão para o mercado americano veio com layout diferente do que foi distribuído na Europa e com troca de música. A explicação da gravadora foi que a capa carregava em conotação pornográfica. “When It Started” substituiu “New York City Cops”. O disco foi lançado em 25 de setembro de 2001. Catorze dias antes aconteceram os ataques às torres gêmeas. O trailer oficial também era outro e foi substituído às pressas.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

03 – Hulk
03.1 – Velvet Revolver – Set Me Free

“Set Me Free” foi single de estréia de Velvet Revolver, em 2003. A música entrou para trilha de Hulk e em Contraband. A versão do disco foi estendida, teve mixagem diferente e final alterado.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

04 – Terminator 2: Judgment Day
04.1 – Guns N’ Roses – You Could Be Mine

Originalmente “You Could Be Mine” não fazia parte de Terminator 2: Judgment Day, mas as referências a Guns N’ Roses eram óbvias. Um amigo de John Connor usa camiseta da banda. Em outra cena T800, andróide interpretado por Arnold Schwarzenegger, tira sua arma de caixa de rosas.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

05 – Me, Myself And Irene
05.1 – Foo Fighters – Breakout

No clipe Dave Grohl sofre de múltipla personalidade como acontece com Jim Carey em Eu, Eu mesmo e Irene. A 1 minuto e 3 segundos do clipe a velhinha do FUCK YOU é a mãe do cantor.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.


Pequeno Dave com Virginia

06 – The Crow
06.1 – Helmet – Milquetoast

“Milquetoast” primeiro foi lançada em Betty, de 1994, e no ano seguinte entrou para trilha de O Corvo. O filme conta história de Eric Draven e Shelly, casal assassinado na Noite do Demônio que antecede o Halloween. Um ano depois Eric volta do mundo dos mortos, guiado por um corvo, para vingar sua morte.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Um pouco de história. O filme foi marcado pela morte acidental de Brandon Lee, filho de Bruce Lee. Em determinada cena uma arma carregada de verdade, mas sem pólvora, era apontada para a câmera como se fosse disparar. Após sua realização o assistente da pessoa responsável pelos efeitos especiais limpou o revolver e deixou escorregar um dos projéteis no cano. A cena filmada na sequência foi a de estupro de Shelly, sendo que a arma estava carregada com festim. Brandon Lee segurava sacola de supermercado contendo sangue cenográfico. No roteiro o personagem Funboy deveria atirar no ator quando ele entrasse na sala. O projétil que estava no cano o matou. Os negativos com a cena de sua morte foram destruídos antes de serem revelados.

07 – Batman And Robin
07.1 – Smashing Pumpkins – The End Is The Beginning Is The End

Depois da tumultuada fase de Mellon Collie And The Infinite Sadness que resultou na expulsão de Jimmy Chamberlin e morte de Jonathan Melvoin por overdose de heroína, “The End Is The Beginning Is The End” foi a primeira música gravada com Matt Walker na bateria. Com ela a banda ganhou Grammy na categoria Best Hard Rock Performance.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

08 – Kung Fu Panda
08.1 – Cee-Lo Green – Kung Fu Fighting

A música serviu de trilha enquanto aparecem os créditos finais do filme. Trechos da letra foram adaptados para a trama.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
As surpresas que mencionei no começo do post que trilhas de filmes às vezes nos reservam são: “Close Romantic” que Damon Albarn, do Blur, gravou sozinho para Trainspotting, e “Like a Virgin”, cover de Madonna que Teenage Fanclub registrou para Threesomede 1994.

.

Clique aqui para conhecer o que já foi publicado antes. Até sexta que vem.

Anúncios

Slash e Lenny Kravitz

Não é difícil um músico ter maior destaque que o restante de sua banda, mesmo ela sendo bem sucedida. Outra situação bem corriqueira é o artista participar de parcerias. O post é dedicado a Slash e Lenny Kravitz que, além de suas bandas/ carreira solo, também participam de projetos com amigos. Em 1991 aconteceu encontro entre ambos, mas isso será comentado apenas no item nove.

 1. Guns N’ Roses – Appetite For Destruction – 1987

Concordo com Zig que escreveu no post Proibidas Do Rock: “Slash e banda estavam com apetite de destruição no disco de estréia.”

“…cars are crashin’ every night
I drink n’ drive everything’s in sight
I make the fire
but I miss the firefight
I hit the bull’s eye every night
It’s so easy
when everybody’s tryin’ to please me baby…”

2. Michael Jackson – Give In To Me – 1991

Mais uma ocasião em que The King Of Pop convida guitarrista consagrado para suas músicas. O mesmo aconteceu em 1982 quando Eddie Van Halen gravou o solo de “Beat It”. Reza lenda que o próprio pediu para seu nome não entrar nos créditos e que ele não cobrou cachê pelo trabalho. Tudo em nome da brodagem.

3. Slash’s Snakepit – It’s Five O’Clock Somewhere – 1995

Após turnê de Use You Illusion, Axl Rose direcionou o som do Guns para o rock industrial. Slash estava na pegada Led Zeppelin e Aerosmith. Slash’s Snakepit surgiu da constante divergência artística com o antigo parceiro de banda.

4. Slash’s Blues Ball – 1996

Foto NÃO oficial

O projeto surgiu quando Slash foi convidado a participar de festival de blues, em Budapeste. A banda era formada por Teddy Andreadis, vocal e teclados; Johnny Griparic no baixo; Alvino Bennet na bateria; segundo guitarrista Bobby Schneck e Dave McLarem no saxofone. Oficialmente não há registro de estúdio.

5. The Strokes – Someday – 2001

Neste caso a parceria foi apenas em vídeo.

6. Velvet Revolver – Contraband – 2004

A banda começou com jam session realizada por três ex-Guns N’ Roses: Duff McKagan, baixo; Matt Sorum, bateria e Slash. Eles perceberam que a química de palco continuava forte. Dave Kushner, que tocou com Dave Navarro, e Scott Weilland entraram para o time. Desde 2008 Weilland voltou para o Stone Temple Pilots e Velvet Revolver procura novo vocalista.

7. The Beatles – Let It Be – 1970

Em 2005, durante entrega do Grammy, verdadeira CONSTELAÇÃO formada por Bono, Steve Wonder, Brian Wilson, Alicia Keys, Steve Tyler, Billie Joe Armstrong, entre outros, interpretou “Across The Universe.”

8.1. Madonna – Justify My Love – 1990

Música e letra escritas por Lenny Kravitz e inicialmente oferecida à Paula Abdul. Madonna beija na boca a modelo brasileira Luciana Silva. O clipe foi banido da programação da MTV americana, forçando a Warner a lançá-lo em VHS, como video single. Resultado? Mais de um milhão de unidades vendidas.


“poor is the man whose pleasures depend on the permission of another”

8.2. Madonna – Ray Of Light – 1998

Como parte das apresentações ao vivo, para o Video Music Awards da Mtv, exibido no mesmo ano de lançamento do disco, Lenny Kravitz tocou guitarra.

9. Lenny Kravitz – Mama Said – 1991

O disco é considerado retro rock. Jimi Hendrix e Sly Stone são as referências. As músicas carregam energia. No mesmo período o cantor passava por processo de divórcio. “Always On Th Run” foi escrita, gravada e filmada com Slash.

“…and my mama always said
that it’s good to be fruitful
and my mama always said
don’t take more than a mouthful
and my mama always said
that it’s good to be natural
and my mama said
that it’s good to be factual…”

10. Mick Jagger – Goddess In The Doorway – 2001

O que foi escrito, no lançamento, sobre Goddess In The Doorway: “brilhante, impecavelmente produzido, músicas rock’ n’ roll e dançantes.”

.
Não sou FÃ FERVOROSO de Guns N’ Roses mas respeito o conjunto da obra. Se Axl Rose resolver retomar a veia rock’ n’ roll e deixar o industrial de lado, Slash disse que esquece todas as diferenças artísticas do passado e reinicia parceria. Axl não fez declaração alguma sobre o assunto. Até quarta que vem.
.
Para ler as edições anteriores clique aqui.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: