"descapando" discos de rock, sempre em listas top 10 | por Ziegler, Zé Mário e Lex

Posts marcados ‘You’re The One For Me’

a PRIMEIRA vez…

Sexta-feira, 27 de julho, Your Arsenal, terceiro disco de inéditas de Morrissey, completou 20 anos. Na minha opinião este é o melhor disco de sua carreira solo. Atrasei para fazer merecida homenagem porque soube da comemoração depois que havia publicado ROLOU um clima. Essa dose_INDIE é especial. É a primeira vez que todas as músicas do podcast foram tiradas de único disco. Elas estão na ordem em que foram lançadas. Your Arsenal, de certa forma, serviu de trilha para fase de minha vida que guardo com carinho, mas a história completa ficou para o final.

01 – You’re Gonna Need Someone On Your Side

Se compararmos a tudo que Morrissey havia lançado “You’re Gonna Need Someone On Your Side” soa ABSURDAMENTE nova. Guitarra pesada, riff esperto. Nem parecia Morrissey, mas felizmente era. Mérito para Mick Ronson, ex-guitarrista de David Bowie e produtor de estúdio. Esta foi a primeira. Ainda faltavam nove músicas e lembro que já havia gostado do disco inteiro.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

02 – Glamorous Glue

Your Arsenal foi o primeiro disco sem as letras no encarte (o motivo você vai entender logo mais). Nele há apenas foto de Charlie Richardson, gangster inglês, com sua filha de dois anos no colo. Mesma imagem foi utilizada para capa de release da turnê européia. Para ver o resultado clique aqui.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Para “Glamorous Glue” foi feito apenas clipe. Em 2010 a música foi lançada como single. No labo B estavam “Safe Warm Lancashire Home” e “Treat Me Like A Human Being”, escrita em parceria de Chrissie Hynde, de The Pretenders.

03 – We’ll Let You Know

Durante a fase de divulgação foram filmados seis clipes para Your Arsenal. “We’ll Let You Know” foi uma das músicas não-escolhidas. Morrissey foi questionado e acusado de ser simpático à ação de hooligans. Confira trecho da letra:

“…we may seem cold or we may even be
the most depressing people you’ve ever known
at heart, what’s left, we sadly know
that we are the last truly british people you’ll ever know
we are the last truly british people you will ever know
you’ll never never want to know”

Em defesa ele declarou: “I understand the level of patriotism, the level of frustration and the level of jubilance. I understand the overall character. I understand their aggression and I understand why it must be released. I’m not a football hooligan. You might be surprised by that. But I just understand the character. I just do.”

A imagem acima foi utilizada como capa do release da turnê americana. Ela foi registrada por Derek Ridgers, em 1980, e chama Skinhead Girls – Bank Holiday.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

04 – The National Front Disco

Outra não-escolhida para clipe foi “The National Front Disco.” Desta vez o incômodo foi por criticar a Frente Nacional Britânica, grupo de extrema direita.

“david, the wind blows
he wind blows
bits of your life away
your friends all say
“where is our boy? oh, we’ve lost our boy”
but they should know
where you’ve gone
because again and again you’ve explained that
you’re going to

oh, you’re going to
yeah, yeah, yeah, yeah
ENGLAND FOR THE ENGLISH!
ENGLAND FOR THE ENGLISH!…”

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Sobre o assunto Morrissey argumentou: “I like to feel, in some small way, that I’m not actually restricted in anything I wish to write about. Of course, within the exciting world of pop music, the reality is that we are restricted. Whether you chose to write about wheel-chair bound people, November Spawned A Monster, or the subject of racism, The National Front Disco, the context of the song is often overlooked. People look at the title and shudder and say, Whatever is in that song shouldn’t exist because the subject, to millions of people, is so awful.”

Um pouco de história. Em 1996 foi lançado Introducing Morrissey, registro de apresentação que envolvia os discos Your Arsenal e o recém lançado Vauxhall And I. Os dois clipes acima foram retirados deste home video.

05 – Certain People I Know

Alguns críticos escreveram que “Certain People I Know” é parecida demais com “Ride A White Swan” de T Rex. Em setembro de 92 Mozz disse à revisya Q: “I don’t know if you know anything about Marc Bolan, but he took a lot of inspiration from rock’n’roll. If, for example, you listen to early Carl Perkins you’ll probably hear Marc Bolan playing ‘Ride A White Swan’ in the background… although I doubt it…”

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

“Certain People I Know” parece ou não com “Ride A White Swan”? Tire sua conclusão.


06 – We Hate It When Our Friends Become Successful

Primeiro single. Na parada inglesa não subiu além da décima sétima posição. Já na terra do Tio Sam ocupou durante semanas o segundo lugar do Top Ten. Com Your Arsenal Morrissey foi indicado à categoria Best Alternative Music Album, do Grammy, mas perdeu o caneco para Bone Machine, de Tom Waits.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

07 – You’re The One For Me, Fatty

Segundo single. Embora pareça letra de amor “You’re The One For Me, Fatty” foi provocação para Chas Smyth, um dos vocalistas de Madness. Ele e Morrissey eram amigos, tanto que Smyth fez segunda voz em “That’s Entertainment, cover em homenagem ao The Jam. Em 1990 Mozz o convidou para ser seu empresário, mas o convite não foi aceito. Smyth declarou: “I didn’t fancy having to iron his socks.”

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

08 – Seasick, Yet Still Docked

Como mencionei no item 3 seis clipes foram filmados, mas apenas 5 divulgados. “Seasick, Yet Still Docked” permaneceu inédito até 2000 quando foi lançado como principal novidade do DVD Oye Esteban! Foto registrada por Anton Corbijn no quintal da casa de Morrissey durante período que morou em Los Angeles.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

09 – I Know It’s Gonna Happen Someday

Morrissey nunca escondeu que David Bowie foi uma de suas principais referências para escolher a carreira de cantor. Os riffs finais de “I Know It’s Gonna Happen Someday” que lembram “Rock’ N’ Roll Suicide” não foram para homenageá-lo e nem intencionais. Ele declarou: “The ‘Rock And Roll Suicide’ riff was an absolute accident. David Bowie mentioned to Mick that he thought the end of the song was from ‘Rock And Roll Suicide’ and it’s true, now that I listen I can hear it, but at the time it was completely accidental. It wasn’t something that Mick threw on or instigated. It was an accident.”

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Bowie ou fez que não entendeu ou ENTENDEU e mesmo assim resolveu agradecer o reconhecimento de Mozz, e lançou sua versão de “I Know It’s Gonna Happen Someday” em Black Tie, White Noise, de 1993.

Compare as duas opções. Na original fique atento à partir de 2 minutos e 14 segundos. Na versão de Morrissey preste atenção em 2 minutos e 58 segundos.


10 – Tomorrow

Antes da Europa a gravadora investiu primeiro no mercado americano e o resultado surpreendeu. Assim que lançado o single ocupou a primeira posição da parada da revista Billboard. Os seis clipes de Your Arsenal na verdade são sete. Para “Tomorrow” há duas versões. A original é esta que está no post. A segunda opção também foi divulgada como novidade do DVD Oye Esteban! e você consegue assisti-la aqui.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

…há 20 anos.

1992. Estava no terceiro colegial. Éramos uma turma de aproximadamente 10 amigos, entre meninos e meninas. Na maior parte do tempo estávamos juntos fosse para curtir balada, churrasco na casa de um, nadar na casa de outro. No início do ano letivo uma amiga, vinda de São Paulo, entrou para o bando. Diferente das meninas da turma a Priscila curtia rock and roll e indie rock. Minha identificação foi imediata. Naquela época a MTV estava bombando. Em Piracicaba era possível sintonizar apenas por antena parabólica. Era legal conversarmos sobre tal clipe, sobre as vinhetas que ENCHIAM os olhos. Os VJs eram atração à parte. Quem não queria ser amigo do Thunderbird? Quem não curtia o jeitão malucão da Maria Paula? Pô o Gastão entendia PRA CARALHO de rock. A Cuca era gatíssima e povoava a mente dos marmanjos.

De segunda a quinta, das 13 às 14:30hs, ela apresentava Pix MTV. Não lembro como o assunto começou, mas teve um dia na hora do intervalo em que conversávamos eu, Pri, Soraia e Regis. Em determinado momento a Pri soltou: “Se um dia eu for trabalhar na MTV eu vou apresentar o Pix MTV, e vou falar pra eles trocarem o nome do programa pra Prix MTV.” Achei aquela afirmação a coisa mais legal do mundo. Que bacana seria ter um programa de televisão, na MTV e com seu nome. Rimos daquilo tudo e ela continuou: “Então Leandro, você seria o LEX.” FIQUEI MUDO DIGERINDO AQUELA PALAVRA. Soou TÃO SIMPÁTICO, carregava a efervescência do momento, éramos adolescentes, tudo em volta conspirava a favor. Olhei para o Rêgis e soltei: “Você seria o REX.” Claro que ele não gostou porque comecei com brincadeira “Pega, Rex. Pega.” A Soraia seria Sox. Meia (socks) não ficou legal. Matutamos por alguns segundos e saiu Sex-So que foi legal enquanto conversávamos os quatro ali, rimos mais um pouco e o apelido dela durou até voltarmos para o segundo período de aula.

Poucas pessoas me chamaram de Lex Luthor. Uma delas foi o Rodrigo, irmão mais velho da Pri. Um ou outro amigo do colégio também, mas não pegou. Neste mesmo período eu e o Rêgis viramos GRANDES AMIGOS e SOMOS GRANDES AMIGOS até hoje. Curtíamos som juntos, direto eu gravava a programação da MTV na casa dele que tinha parabólica. Ele dirigia e o roteiro de sábado à noite começava às 20hs quando ele programava o video cassete JVC (acho que existe até hoje) para gravar Dance MTV que ia até as 22hs. Muito rapidamente, para não cortar a vinheta de abertura, ele tirava sua fita e colocava a minha para gravar Non-Stop que ia até meia noite. Depois que minha fita já estava gravando, saíamos, curtíamos o que tinha que ser curtido com a turma e na volta, independente do horário que fosse, antes passávamos em sua casa para eu pegar minha gravação. MUITAS VEZES, na verdade TODAS ÀS VEZES que eu chegava em casa já assistia o que tinha sido gravado para conhecer os lançamentos.

Em 1996 fui estagiário em produtora de comerciais para televisão, como comentei em posts anteriores, e acrescentar TV ao apelido foi natural. Na brincadeira veio também Network. Consequentemente a holding lexTV Network é proprietária das empresas lextv, lextv records, lex_designo, dose_INDIE, e possui 50% das ações da Zilex Camisetas. A meta é conquistar 32 territórios com, no mínimo, dois exércitos em cada um. HAJA PSICANÁLISE para administrar todas essas personalidades em apenas uma pessoa. SOCUERRO, Dé.

Em agosto de 1992, na casa da Pri, foi a primeira vez que escutei Your Arsenal.

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
Para conhecer as edições anteriores do Dez Capas e dose_INDIE clique aqui. Até sexta que vem.

Anúncios

3 ANOS + MORRISSEY

No dia 6 de março, terça-feira, a dose_INDIE completou três anos. Nesse período várias coisas legais aconteceram, muitos erros, acertos e apenas UMA CERTEZA: o compromisso de continuar produzindo, no capricho, um podcast inédito toda semana. Esse período festivo não poderia ser em melhor época, Morrissey está no Brasil. Domingo estarei no show de São Paulo. Na turnê ele tem apresentado músicas de sua fase atual. A dose_INDIE voltou no tempo e resgatou os lados B  do início de sua carreira.

1. Everyday Is Like Sunday
1.1. Sister I’m A Poet

Oficialmente a versão de estúdio de “Sister I’m a Poet” foi lançada apenas em 1998 na compilação My Early Burgaly Years. Antes a disponível era ao vivo capturada do vídeo abaixo que faz parte de Hulmerist, compilação de clipes.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

2. Bona Drag
2.1. Let The Right One Slip In

“Let The Right One Slip In” foi uma das oito sobras de estúdio que entrou para a reedição de Viva Hate, em 1997 e no relançamento de Bona Drag, em 2010, com versão alternativa nos arranjos .

“…I will advise
until my mouth dries
I will advise you to
let the right one slip in
slip in
slip in…”

3. Piccadilly Palare
3.1. At Amber

Para “Piccadilly Palare” Morrissey escreveu sobre prostituição masculina ao redor de Piccadilly, em Londres, muito acentuada nos anos 70. “Palare” é gíria cigana usada no teatro que foi adotada por garotos de programa desde o século 19. “The Bed Took Fire” foi o primeiro nome de “At Amber”, trocado antes de entrar para o lado b do single. A versão que está no relançamento de Bona Drag vem com o nome original.

“…the piccadilly palare
was just silly slang
between me and the boys in my gang
so bona to vada, oh you
your lovely eek and
your lovely riah…”

4. You’re The One For Me, Fatty
4.1. There Speaks A True Friend

Foto registrada por Linder Sterling, amiga de Morrissey desde os tempos do The Smiths. Ela faz parte da série de ensaios que depois resultou na capa de Your Arsenal.

“…you say I don’t know how to live
and that’s true
you say I don’t deserve to live
oh where would I be without my friends to help me?
I just can’t imagine where I’d be, can you?
NO”

5. Viva Hate
5.1. Please Help The Cause Against Loneliness

Música gravada por Sandie Shaw, musa inspiradora de Morrissey, lançada em Hello Angel, de 1988. Durante as sessões de estúdio de Viva Hate, muito a contra gosto, ele registrou versão com sua voz. Essa opção foi uma das sobras que também entrou para o relançamento de Bona Drag.

6. Bona Drag
 6.1. Happy Lovers At Last United

Nunca saberemos qual critério adotado para definir o que será lançado em disco, o que entrará em lado B de single, e o que será arquivado. “Happy Lovers At Last United”, na minha opinião, teria sido lado A de Bona Drag, em 1990, fácil fácil.

7. Striptease With A Difference

“Striptease With A Difference” é um fantasma. Oficialmente ela não está em single e disco algum. O mais provável é que foi gravada em 1991 durante a fase Kill Uncle. Em entrevista à revista The Face, no mesmo ano, Morrissey declarou: “There’s a song called Striptease With A Difference which is about playing a game of cards wherein the loser of each game has to take off an item of clothing. And it’s about secretly hoping one loses and in fact manipulating the game towards that end.”

“bending the rules of a late night card game
where the loser removes an item of clothing
you’re dreading each deal so urgent and grave
have a shufty over your shoulder
well it’s a shady game
and I want to lose
please let me lose
please let me lose
it’s nothing to you
it’s nothing to you…”

8. Bona Drag
8.1. Oh Phoney

Ex-fantasma. “Oh Phoney” não estava em single e disco algum. É provável que ela também foi gravada no mesmo período de “Striptease With A Difference”. Em 2010 versão diferente da que está na dose_INDIE entrou para o relançamento de Bona Drag. A letra levanta dúvida pelo menos curiosa: Hitler poderia ser motorista de ônibus?

“may this lovely letter reach its destination
if only
question one is why do you pretend that you like me?
oh phoney
see how the outside contradicts what’s inside
who can make hitler seem like a bus conductor?
you do
oh phoney
you do…”

9. The Last Of The Famous International Playboys
9.1. Lucky Lisp

Quando The Smiths acabou Andy Rourke, baixo, e Mike Joyce, bateria, continuaram na banda de Morrissey. “Lucky Lisp” foi escrita em parceria de Andy Rourke e Stephen Street, produtor de Viva Hate.

“…when your name is with the best
will my name be on your guest list?
and I will roar from the stalls
oh the balcony fool was me, you fool
jesus made this all for you, love
he couldn’t get over
your grandma’s omen
lucky lisp was not wasted on you
lucky lisp wasn’t wasted on you…”

10. Southpaw Grammar
10.1. The Operation

“The Operation” começa com desnecessário solo de bateria de dois minutos e vinte segundos e termina com mais de dois minutos de repetição de trecho da música. Cansativo. A versão que está no podcast é radio edit com quase três minutos. Sem rodeios.

“…you don’t catch what i’m saying
when you’re deafened to advice
everyone here is sick to the back teeth of you
with a tear that’s a mile wide
in the kite that you’re flying
everyone here is sick to the tattoo of you…”

11. Sunny
11.1. A Swallow On My Neck

Na minha opinião ouvir “A Swallow On My Neck” foi o momento mais prazeroso e de maior surpresa do primeiro show de 2000, em São Paulo. Poucas vezes Morrissey a interpretou ao vivo. Além do single Sunny a música também fez parte da compilação My Early Burglary Years.

12. Pregnant For The Last Time
12.1. Skin Storm

“Skin Storm” é cover de Bradford, de 1988. A banda é uma das preferidas de Morrissey que os proclamou herdeiros ao trono do The Smiths.

EXTRA: Dagenham Dave

Primeiro single de Southpaw Grammar, de 1995. Quem ilustra a capa é Terry Venables que foi jogador de futebol, ex-técnico da seleção inglesa e seleção australiana. Ele é natural de Dagenham. É sua cara de deboche que ilustra o cabeçalho da dose_INDIE.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

.
Clique aqui para baixar o podcast no formato MP3

Clique aqui para baixar o podcast no formato AAC para iPod

.
O post de hoje encerra as duas comemorações de três anos da dose_INDIE. Para conhecer as edições anteriores clique aqui. Até semana que vem.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: